quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Você desonra a Deus por ser dependente de si mesmo





segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

As Profecias Cumpridas Demonstram a Inspiração Divina das Escrituras





quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Por que eu devo orar se Deus sabe de todas as coisas?




domingo, 17 de fevereiro de 2013

A cessação dos dons apostólicos





Por Jonathan Edwards
A opinião de dez líderes da história da Igreja:

1. João Crisóstomo (344–407)

A passagem inteira (falando sobre 1 Coríntios 12) é muito obscura, mas a obscuridade é produzida por nossa ignorância dos fatos referidos e por sua cessação, fatos que ocorriam, mas agora não tem mais lugar.

(Fonte: João Crisóstomo, Homilias em I Coríntios, 36.7 Crisóstomo está comentando 1 Co. 12:1-2 como introdução ao capítulo inteiro. Citado de 1-2 Coríntios in: Ancient Christian Commentary Series, 146.)

2. Agostinho (354-430)

Nos tempos antigos o Espírito Santo veio sobre os crentes e eles falaram em línguas, que não haviam aprendido, conforme o Espírito concediam que falassem. Estes foram sinais adaptados ao tempo. Pois aquilo foi o sinal do Espírito Santo em todas as línguas [idiomas] para mostrar que o Evangelho de Deus era para ser espalhado a todas as línguas sobre a terra. Isto foi feito por um sinal, e o sinal findou.

(Fonte: Agostinho. Homilias sobre a Primeira Epístola de João, 6.10. Cf. Schaff, NPNF, First Series, 7:497-98)

3. Teodoreto de Ciro (393-466)

Em tempos antigos, aqueles que aceitaram a divina pregação e que foram batizados para a sua salvação, receberam sinais visíveis da graça do Espírito Santo trabalhando neles. Alguns falaram em línguas que eles não sabiam e que ninguém lhes havia ensinado, enquanto outros realizaram milagres ou profetizaram.  O coríntios também fizeram essas coisas, mas não usaram os dons como deveriam ter usado. Eles estavam mais interessados em se mostrar do que em usar os dons para a edificação da igreja . . . Mesmo no nosso tempo a graça é dada para aqueles que são julgados dignos do santo batismo, mas não pode assumir a mesma forma que possuía naqueles dias.

(Fonte: Teodoreto de Ciro. Comentário sobra a primeira epístola aos Coríntios, 240, 43; em referência à 1Co 12:1,7.  Citado de 1-2 Coríntios, ACCS, 117).

4. Martinho Lutero (1483-1546)

Na Igreja primitiva, o Espírito Santo foi enviado de forma visível.  Ele desceu sobre Cristo na forma de uma pomba (Mt. 3:16), e à semelhança de fogo sobre os apóstolos e outros crentes.  (Atos 2:3) Esse derramamento visível do Espírito Santo foi necessário para o estabelecimento da Igreja primitiva, como também foram necessários os milagres que acompanharam o dom do Espírito Santo. Paulo explicou o propósito destes dons miraculosos do Espírito em I Coríntios 14:22, "as línguas são um sinal, não para os que crêem, mas para os que não crêem".  Uma vez que a Igreja tinha sido estabelecida e devidamente anunciada por estes milagres, a aparência visível do Espírito Santo cessou.

(Fonte: Martinho Lutero, traduzido por Theodore Graebner [Grand Rapids, Michigan: Zondervan, 1949], pp  150-172. A respeito do comentário de Lutero sobre Gálatas 4:6.)

5. João Calvino (1509-1564)

Embora Cristo não declare expressamente se Ele pretende que esse dom [de milagres] seja temporário ou a permaneça perpetuamente na Igreja, é mais provável que os milagres tenham sido prometidos apenas por um tempo, para dar brilho ao evangelho enquanto ele era novo ou em estado de obscuridade.

(Fonte: João Calvino, Comentário sobre os Evangelhos Sinóticos, III:389.)

O dom de cura, como o resto dos milagres, os quais o Senhor quis que fossem trazidos à luz por um tempo, desapareceu, a fim de tornar a pregação do Evangelho maravilhosa para sempre.

(Fonte: João Calvino, Institutas da Religião Cristã, IV: 19, 18.)

6. John Owen (1616-1683)

Dons que em sua própria natureza excederam completamente o poder de todas as nossas habilidades, essa dispensação do Espírito há muito cessou e onde ela agora é simulada por alguém, pode ser justamente presumida como um delírio entusiasmado.

(Fonte: John Owen, Obras, IV:518.)

7. Thomas Watson (1620-1686)

Claro, há tanta necessidade de ordenação hoje como no tempo de Cristo e no tempo dos apóstolos, quando então havia dons extraordinários na igreja, os quais agora cessaram.

(Fonte: Thomas Watson, As Bem-Aventuranças, 140.)

8. Mattew Henry (1662-1714)

O que eram esses dons nos é largamente dito no corpo do capítulo [1 Coríntios 12], ou seja, ofícios e poderes extraordinários, concedidos a ministros e cristãos nos primeiros séculos, para a convicção dos descrentes, e propagação do evangelho.

(Fonte: Mattew Henry, Comentário Completo, em referência a 1 Coríntios 12)

O dom de línguas foi um novo produto do espírito de profecia e dado por uma razão particular, retirar o judeu e demonstrar que todas as nações podem ser conduzidas à igreja. Estes e outros sinais da profecia, começaram como sinais, e há muito cessaram e foram deixados para trás, e nós não temos nenhum incentivo para esperar um avivamento deles; mas, pelo contrário, somos direcionados para o chamado das Escrituras a mais certa palavra de profecia, mais certa que vozes dos céus, e ela nos orienta a tomar cuidado, a busca-la e se firmar nela.

(Fonte: Mattew Henry, Prefácio ao Vol IV de sua Exposição do At e NT, vii.)

9. John Gill (1697-1771)

Agora esses dons foram concedidos comumente, pelo Espírito, aos apóstolos, profetas e pastores, ou anciãos da igreja, naqueles primeiros tempos: a cópia de Alexandria, e a versão Latina da Vulgata, dizem, "por um só Espírito".

(Fonte: Comentário de John Gill de 1 Coríntios 12:9)

Não; quando estes dons estavam presentes, nem todos os possuíam.  Quando a unção com óleo, a fim de curar o doente, estava em uso, ela só foi executada pelos anciãos da igreja, e não pelos seus membros comuns, que deveriam buscar o doente nesta ocasião.

(Fonte: Comentário de John Gill de 1 Coríntios 12:30.)

10. Jonathan Edwards (1703-1758)

Nos dias de sua [Jesus] encarnação, os seus discípulos tinham uma medida dos dons miraculosos do Espírito, sendo habilitados desta forma para ensinar e fazer milagres.  Mas, depois da ressurreição e ascensão, ocorreu o mais completo e notável derramamento do Espírito em seus dons milagrosos que já existiu, começando com o dia de Pentecostes, depois da ressureição Cristo e Sua ascenção ao céu.  E, em conseqüência disto, não somente aqui e ali uma pessoa extraordinária era dotada de dons extraordinários, mas eles eram comuns na igreja, e assim continuou durante a vida dos apóstolos, ou até a morte do último deles, mesmo o apóstolo João, que viveu por cerca de cem anos desde nascimento de Cristo, de modo que os primeiros cem anos da era cristã, ou o primeiro século, foi a era dos milagres.

Mas, logo após a finalização do cânon da Escritura quando o apóstolo João escreveu o livro do Apocalipse, não muito antes de sua morte, os dons miraculosos tiveram seu fim na igreja. Pois, agora, a revelação escrita da mente e da vontade de Deus estava completa e estabelecida. Revelação na qual Deus havia perfeitamente gravado uma regra permanente e totalmente suficiente para Sua igreja em todas as eras.  Com a igreja e a nação judaica derrotadas, e a igreja cristã e a última dispensação da igreja de Deus estabelecidas, os dons miraculosos do Espírito já não eram mais necessários e, portanto, eles cessaram; pois embora eles tenham continuado na igreja por tantas eras, eles se extinguiram, e Deus fez com que fossem extintos porque já não havia ocasião favorável a eles.  E assim foi cumprido o que está dito no texto: “Havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão;. Havendo ciência, desaparecerá".  E agora parece ser o fim para todos os frutos do Espírito tais como estes, e não temos mais razão de esperar que voltem.

(Fonte: Jonathan Edwards, sermão intitulado "O Espírito Santo deve ser comunicado ao Santos para sempre, In na graça da caridade, ou amor divino", em 1 Coríntios 13:8)

Os dons extraordinários foram dados para a fundação e o estabelecimento da igreja no mundo. Mas, depois que o cânon das Escrituras foi concluído e a igreja cristã foi plenamente fundada e estabelecida, os dons extraordinários cessaram.

Fonte: Jonathan Edwards, Caridade e seus frutos, 29
Via: Cristão Reformado / Internautas Cristãos

Poderíamos adicionar a esta lista outros nomes: James Buchanan, R. L. Dabney, Charles Spurgeon, George Smeaton, Abraham Kuyper, William G. T. Shedd, B. B. Warfield. A. W. Pink, e assim por diante.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Graça Irresistível




T.U.L.I.P – (I.rresistible Grace) Graça Irresistível;

A partir do momento que admitimos que o homem é radicalmente depravado, que o homem está no estado de total rebeldia contra Deus, então também admitimos que o homem por si só não consegue se reconciliar com O criador e consequentemente não encontra a salvação, conforme Jesus mesmo afirma “... Aos homens isso é impossível, mas a Deus tudo é possível.” (Mt 10:26) .

Por conta disso a graça irresistível se faz necessária e indispensável para a salvação do homem. Segundo John Piper em uma das suas pregações “a graça é resistível até que Deus queira que ela seja resistível.”i

Graça Irresistível -O calvinismo entende que a graça de Deus não pode ser obstruída, visto que sua graça é irresistível. Os calvinistas não querem significar com isso que Deus esmaga a vontade obstinada do homem como um gigantesco rolo compressor! A graça irresistível não está baseada na onipotência de Deus, ainda que poderia ser assim, se Deus o quisesse, mas está baseada mais no dom da vida, conhecido como regeneração. Desde que todos os espíritos mortos (= alienados de Deus) são levados a Satanás, o deus dos mortos, e todos os espíritos vivos (= regenerados) são guiados irresistivelmente para Deus (o Deus dos vivos), nosso Senhor, simplesmente, dá a seus escolhidos o Espírito de Vida. No momento que Deus age nos eleitos, a polaridade espiritual deles é mudada: Antes estavam mortos em delitos e pecados, e orientados para Satanás; agora são vivificados em Cristo, e orientados para Deus. ii

Quanto cada eleito de Deus se volta para Cristo de maneira salvífica, isso está diretamente ligado com a obra regeneradora do Espírito Santo que nos é concedido através da Graça de Deus. E se é somente através dessa graça que o homem é regenerado, pois pela sua própria vontade não seria possível, tendo em vista que o homem não possui mais livre-arbítrio e sim escravo-arbítrio, então só podemos considerar essa Graça como Irresistível.

O exemplo de Paulo: Atos 9:1-20.

Saulo, ainda respirando ameaças e morte contra os discípulos do Senhor...”At 9:1. Assim encontramos o estado do apóstolo Paulo momentos antes de ser totalmente regenerado pelo encontro com Jesus Cristo na estrada para Damasco.

O exemplo de Paulo reflete a realidade do estado humano em total rebeldia contra Deus, e somente através de um ato miraculoso de ação do Espírito Santo é possível a conversão do homem.

O exemplo de Lídia: Atos 16:14-15.

Certa mulher, chamada Lídia, da cidade de Tiatira, vendedora de púrpura, temente a Deus, nos escutava; o Senhor lhe abriu o coração para atender às coisas que Paulo dizia. Depois de ser batizada, ela e toda a sua casa, nos rogou, dizendo: Se julgais que eu sou fiel ao Senhor, entrai em minha casa e aí ficai. E nos constrangeu a isso.”

Lídia era temente a Deus, mas o que nos chama a atenção no texto é o ato de Deus em abrir o seu coração para que ela atendesse às coisas que Paulo dizia, e, a partir desse ato divino é que houve o entendimento do Evangelho e com isso ela foi batizada juntamente com toda a sua casa.

O endurecimento do povo Judeu: Atos 28:24-28.

Houve alguns que ficaram persuadidos pelo que ele dizia; outros, porém, continuaram incrédulos. E, havendo discordância entre eles, despediram-se, dizendo Paulo estas palavras: Bem falou o Espírito Santo a vossos pais, por intermédio do profeta Isaías, quando disse:Vai a este povo e dize-lhe: De ouvido, ouvireis e não entendereis; vendo, vereis e não percebereis. Porquanto o coração deste povo se tornou endurecido; com os ouvidos ouviram tardiamente e fecharam os olhos, para que jamais vejam com os olhos, nem ouçam com os ouvidos, para que não entendam com o coração, e se convertam, e por mim sejam curados. Tomai, pois, conhecimento de que esta salvação de Deus foi enviada aos gentios. E eles a ouvirão.”

Muitos usam esse texto para afirmar que a Graça é resistível. Deus realmente não esmaga a vontade do homem, apesar de que se Ele assim desejasse Deus poderia fazer, como vemos no exemplo do apóstolo Paulo. Apesar de Deus não passar por cima da vontade humana Ele usa essa vontade para fins maiores, como no exemplo acima, onde usando o próprio endurecimento do coração do povo Judeu alcançou com isso o povo gentio.

A Graça é irresistível devido o estado da natureza humana em rebeldia contra Deus, pois, caso a salvação dependesse unicamente do homem seria impossível que um único fosse salvo. Portanto, temos que transferir essa responsabilidade para Deus, caso contrário não teríamos esperanças.

O homem está morto em seus delitos e transgressões e é impossível um morto gerar vida nele mesmo, precisamos da interferência de Deus para que seja possível um novo nascimento. O homem precisa nascer de Deus, precisa da Graça Irresistível.

Glórias a Deus.

Fernando Di Domenico


iFonte: http://youtu.be/T2A0nzyn9ZA
iiFonte: http://www.monergismo.com/textos/jcalvino/joao_calvino_5pontos_silverio.htm

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Perseverança dos Santos



Esta é uma das doutrinas que está intimamente ligada ao campo da soteriologia calvinista, definida pelo acróstico T.U.L.I.P, pela letra P (Perseverança dosSantos)¹, é importante destacar duas situações que podem ser mal compreendidas na descrição do titulo:

1-Esta doutrina também é chamada muitas vezes como “Segurança dos Santos”, pela confusão que pode ser feita em referência de que a perseverança é proveniente da vontade humana e não de Deus,
outra confusão feita é sobre o termo também usado “Eterna Segurança” , como se a segurança fosse mecânica que será garantida independente da vida da pessoa, no entanto com o correto entendimento, estas nomenclaturas, estão de total acordo com o ensino bíblico, a bíblia nos ensina é Deus quem nos guarda mas que o homem deve perseverar até o final².
2-Em segundo lugar , o possível erro de que é uma doutrina que pode dar falsa segurança ou vida impiedosa, todavia, como o próprio nome sugere, ela é uma perseverança dos santos, ou seja, daqueles são predestinados,chamados , separados pela vontade de Deus Pai.(Rom8.30), e de modo nenhum ela sugere uma vida desleixada pela certeza da perseverança, pelo contrário, ela sugere uma vida piedosa e de santidade por parte do crente,(1 Jo3.2-3) entre os outros artigos pertinentes a esta doutrina, cito o artigo 3, do capitulo 5 dos Cânones de Dort ³:

Por causa dos seus pecados remanescentes e também por causa das tentações do mundo e de Satanás, aqueles que tem sido convertidos não poderiam perseverar nesta graça se deixando ao cuidado de suas próprias forças. Mas Deus é fiel:misericordiosamente os confirma na Graça, uma vez conferida a eles, e poderosamente os preserva [na Sua Graça] até o fim.”

Onde esta doutrina se encaixa na Soteriologia:

Dentre os aspectos da Soteriologia, a perseverança dos santos, pode ser destacada como parte dos aspectos finais da salvação e podemos entender o seguinte desta doutrina:

O cristão é guardado pela graça de Deus e será vitorioso contra o pecado e permanecerá fiel ao Senhor, a segurança concedida a nós no momento da conversão é o que nos guarda, e a perseverança é o resultado disso.

Qual o meio usado por Deus e o resultado:

A fé é o meio que Deus usa para guardar seu povo, mas como a fé também é um dom, logo é Deus que a sustenta, assim sendo, não é pelos méritos ou força, mas pela imerecida misericórdia de Deus que não caem totalmente da fé e da graça,nem permanecem caídos ou se perdem definitivamente, porque se fosse pelo homem isso facilmente aconteceria, mas quanto a Deus, isso não pode acontecer de modo nenhum, pois Seu decreto não pode ser mudado,nem o mérito, intercessão ou preservação de Cristo podem ser invalidados e a selagem do Espírito tampouco pode ser frustrada ou destruída.

Entre as duas correntes mais destacadas sobre esta doutrina descreveremos o que cada uma ensina sobre ela, com a enfase na seguinte colocação. Um regenerado pode vir a perder a salvação?

Penso ser importante rapidamente destacar o que podemos entender sobre regenerado e convertido, para podermos falar com mais propriedade sobre as duas posições.

Podemos entender por regeneração ,o ato soberano de Deus, em conceder vida espiritual ao homem, sem a qual é impossível o homem se voltar para Deus,no qual ele chamao homem a conversão , através da proclamação do evangelho e este voluntariamente responde ao chamado com arrependimento e fé, que resulta em uma mudança de vida, então agora fica mais fácil entender as duas posições:

1-Arminianismo:

O convertido pode vir a cair da graça de Deus, de maneira a perder a salvação, e um dos textos mais utilizados é o de Hb 6-4.6, entre outros, que sugere que neste texto é o homem quem deve seguir em perseverança, a fim de não perder a salvação e como no arminianismo o homem é o causador da perseverança, ele pode sim cair da graça e vir a perder a salvação, “a perseverança dos verdadeiros crentes não é resultado da eleição ou um dom de Deus obtido pela morte de Cristo. È uma condição da nova aliança, que o homem deve cumprir pela sua livre vontade, antes da assim chamada eleição decisiva e justificação,”“crentes verdadeiramente regenerados não só podem perder completa e definitivamente a fé justificadora, a Graça e a salvação, mas de fato as perdem frequentemente e assim se perdem eternamente.”¹º

2-Calvinismo

Como toda obra da salvação , é uma obra monergista, é Deus quem predestina, elege, regenera, justifica e une o homem a Cristo através da fé, lembrando que até que Deus o alcance , por si mesmo o homem é incapaz de professar uma fé salvífica por causa de seu estado atual¹¹ , sendo assim o homem é incapaz de cair da graça , porque é o próprio Deus que o guarda, os textos de advertência tidos pelos arminianos como possíveis evidências para queda da graça, nada mais são do que meios de graça para perseverança e não um indicativo de que os verdadeiros regenerados, poderão cair da graça. Portanto os homens regenerados, são nascidos de semente incorruptível, (1 Pe 1.23) e a confiança que Cristo concede ao crente através de sua obra , a vida eterna. (1 Jo 5.13).
A base desta doutrina , ou a base da segurança do crente, é a obra de Cristo, ou seja é uma obra da Trindade que nos assegura na mão de Cristo, não nós, mas Deus (Jo10.27-30), a nossa união com Cristo é 'indissolúvel”, portanto seus benéficos não podem ser retirados do crente. Alguns textos que evidenciam esta colocação:

Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.
Romanos 8:33

Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir,
Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.
Romanos 8:38-39

Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo; Filipenses 1:6

E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. João 10:28

Um ponto que tem amplo debate entre as posições:

Um dos grandes pontos de discordância é de que mesmo o regenerado, nascido de novo, pode vir a apostatar da fé, porém isso é contrário ao ensino das escrituras,(1 Jo5.18),

Quais possíveis atitudes podem ou não ser consideradas para esta discordância:

Comunhão ou convivência com o corpo ,e ou até mesmo sinais, não podem ser classificados como sinais de regeneração, então outra forma de se referir as passagens como possibilidade de cair da graça é de que nenhum dos textos se referem a pessoas de fato regeneradas pelo Espírito Santo, embora possam participar de igrejas, experiências, não indicam evidências de regeneração,esta evidencia vem com a permanência na fé, crescimento na vida cristã, não basta apenas conhecimento intelectual ou bençãos temporárias.

Um dos textos mais usados para esta definição do regenerado, cair da graça, é o texto de Hebreus capítulo 6.4-6.

Detalhamento das palavras usadas em Hebreus 6.4-6.

Iluminação: A palavra mais comumente usada para defesa desta posição arminiana , é esta palavra “ILUMINAÇÂO”, porém o uso desta palavra no capítulo 6.4 de Hebreus¹², está se referindo a ter conhecido, mas não necessariamente ser convertido, a um aprendizado geral ,não aprendizado para salvação, então este iluminados se refere a conhecer intelectualmente o evangelho , e isso não pode ser tido como conversão,

Provar :Outra palavra dentro desse mesmo texto é “PROVAR”,¹³ mas novamente não indica que tiveram uma experiencia de regeneração, então o provar o dom celestial, não remete necessariamente a pessoas regeneradas. Uma vez provar, não significa adotar, no caso em questão, a fé genuína salvífica, então uma experiência verdadeira com o Espirito Santo,ou ser participantes¹dele, não demonstra que de fato nasceram de novo, podemos ver o caso do povo que andou por 40 anos no deserto com Moises, (Hb3.15), Judas Iscariotes, Balaão e outros (Mt7.22, 2Pe2.20-22), é evidente que participaram ou presenciaram verdadeiras obras do Espírito.

Por fim neste capitulo 6 de Hebreus, o autor termina por diferenciar a ação da chuva , fazendo uma analogia de agricultura para vida do crente regenerado e do não regerado, versos 7e 8, que nos levam a entender que as virtudes do Fruto do Espirito¹, serão o fator diferencial da vida do crente regenerado, uma vida de obediência aos mandamentos de Deus, e por fim aqueles que não perseveram e apostatam de fato provam que nunca foram de fato regenerados (1 Jo 2:19).

Apesar das diferenças entre as posições, podemos fazer uma análise final entre os dois diante de uma pessoa afastada da fé cristã:

O calvinista dirá que esta pessoa nunca de fato foi convertida, e falará para que se arrependa verdadeiramente e creia,

O arminiano dirá que esta pessoa que está desviada, para novamente ser incorporada ao corpo, que ela se arrependa e creia.

Esta doutrina corretamente entendida é de grande conforto para o crente, pois ele sabe que é guardado pelo poder de Deus, por intermédio da sua fé(1Pe1.5), “que mesmo em meio as nossas emoções solúveis, e nossa guerra interrupta nesta vida podemos acordar crentes todos os dias, crendo que os justificados vencerão, e lutarão esta guerra até o final, combatendo o bom combate e guardando a fé” ¹, caminhando em santidade sem a qual ninguém verá o senhor(Hb12.14)



Notas


1-Apresentada através do Sínodo de Dort, em 1618, com o intuito de refutar a posição arminiana mostrando que ela não é sustentável a luz das Escritura, realizado na cidade de Dordrecht na Holanda, a palavra Sínodo significa, na estrutura da igreja Reformada, uma assembleia de pastores e presbíteros, a importância dos cinco artigos de fé , do Sínodo de Dort, está na sua fidelidade as Escrituras, em especial a doutrina da graça de Deus, T.U.L.I.P, é o nome dado ao acróstico em inglês para os 5 pontos do artigo de fé, T:Depravação total, U:Eleição incondicional, L:Expiação limitada,I:Graça irresistível, P:Perseverança dos Santos.

2-De sorte que, meus amados, assim como sempre obedecestes, não só na minha presença, mas muito mais agora na minha ausência, assim também operai a vossa salvação com temor e tremor;
Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.
Filipenses 2:12-13

3-Capitulo 5 Da doutrina perseverança dos santos, pág 47.Cânones de Dort, Editora Cultura Cristã

4-Capitulo 5 Da doutrina perseverança dos santos, pág 49.Cânones de Dort Editora Cultura Cristã

5-Regeneração é um ato secreto de Deus pelo qual ele nos concede nova vida espiritual.Isso ás vezes é chamado “nascer de novo” (Jo3.3-8) Teologia Sistemática -Wayne Grudem pag 584. Edições Vida Nova.

6-A esse chamado eficaz, se refere a letra I, referente a graça irresistível , do acróstico T.U.L.I.P.

7-Conversão é a nossa resposta espontânea ao chamado do evangelho, pelo qual sinceramente nos arrependemos de nossos pecados e colocamos a confiança em Cristo para receber a salvação. Teologia Sistemática Wayne Gruden pag.592-Editora Vida Nova

8-Que o homem deve perseverar na caminhada cristã , isso é fato , mas se dependesse somente dele, sem dúvidas apostataria da fé, e a Sagrada escritura testifica que a perseverança provém da eleição e é dada aos eleitos pelo poder da morte, ressurreição e intercessão de Cristo:(Rom11.7) pag 51 refutação ao erro 1, Cânones de Dort ,Editora Cultura Cristã

9-Rejeição de erros por parte do Sínodo, erro 1-Da doutrina da perseverança dos santos, pág 51.Cânones de Dort, Editora Cultura Cristã

10-Rejeição de erros por parte do Sínodo, erro 3-Da doutrina da perseverança dos santos, pág53.Cânones de Dort,Editora Cultura Cristã

11-Essa incapacidade se refere a letra T, referente a depravação total, do acróstico T.U.L.I.P,

12-A palavra iluminado traduz o termo grego phōtizō, que se refere ao aprendizado em geral e não necessariamente no aprendizado que resulta na salvação, ela é usada em Jo1.9(a luz que “ilumina” todo homem que vem ao mundo) Teologia Sistemática Wayne Gruden, pag 676 , Edições Vida nova.

13-A palavra provar vem da palavra grega geoumai, se referindo a provar algo que não necessariamente é de sua propriedade, experimentaram de forma direta mas não significa que a adotaram, assim como de fato Jesus provou verdadeiramente da morte ,mas não a adotou(Hb2.9), Teologia Sistemática Wayne Gruden,pág 676,Edições Vida Nova.

14-Esta palavra participar em grego, metochos, pode significar apenas uma associação (exemplo de Lc5:7, onde Pedro chamou os companheiros, participantes, do outro barco), ela está relacionada à influência e não a mudança de vida, regeneração.)Teologia Sistemática Wayne Gruden,pag 676, Edições Vida Nova.

15-Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
Gálatas 5:22

16-Os pilares da fé,sessão 14 disco 3, Editora Fiel.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Tratando o pecado na Igreja



Escutei uma pregação neste final de semana sobre um assunto tão polêmico quanto negligenciado pela maioria de nós cristãos, e pela maioria das igrejas brasileiras. Disciplina eclesiástica, segundo Mateus 18:15-17

Mt 18.15-17 “Se teu irmão pecar [contra ti], vai argui-lo entre ti e ele só. Se ele te ouvir, ganhaste a teu irmão. Se, porém, não te ouvir, toma ainda contigo uma ou duas pessoas, para que, pelo depoimento de duas ou três testemunhas, toda palavra se estabeleça. E, se ele não os atender, dize-o à igreja; e, se recusar ouvir também a igreja, considera-o como gentio e publicano.”

Esse processo de disciplina visando a restauração do pecador é o modelo instituído por Cristo, foi deixado como regra para o procedimento do cristão e da igreja quanto ao tratamento do pecado na vida das pessoas e na vida da igreja.

Se a disciplina conforme descrito no texto foi instituída por Jesus, qual o motivo dela ser tão negligenciada?

O motivo é simples: orgulho.

É um assunto que lida diretamente com o pecado, o pecador e o orgulho das pessoas. Não é fácil saber que as pessoas estão me fiscalizando, estão cuidando a minha vida. Literalmente, em uma igreja saudável as pessoas se metem na vida uma das outras.

A grande diferença em uma igreja saudável é que isso é feito com amor e cuidado. Existe a profunda vontade de restaurar as pessoas para comunhão em Cristo. Não é simplesmente se meter na vida para apontar falhas e defeitos, é um tratamento visando a restauração.

Até mesmo em última instância, quando o pecador se recusa a ouvir a igreja e é excluído da comunhão, inclusive nesse momento tão delicado, o desejo é de que aja restauração através desse ato. Até na exclusão de um membro, tal atitude é tomada com amor pela pessoa envolvida, sabendo que esse passo é importante para o tratamento contra o pecado na vida dessa pessoa.

Devemos confiar nos ensinos de Jesus, sabendo que esses passos são tanto pra restauração do pecador quanto para a conservação da igreja local.

Cabe a nós decidirmos se faremos parte de uma igreja que trata e se preocupa com o pecado no meio dela, e isso muitas vezes levará a situações desagradáveis, onde teremos que lidar com o orgulho das outras pessoas e na maioria das vezes com o nosso próprio orgulho. Mas em contrapartida sabendo que nesse lugar há zelo pela pureza e há repúdio pelo pecado.

Ou então, faremos parte de uma igreja que ignora o pecado no meio dela, que prefere não mexer com o ego das pessoas, onde o objetivo é deixar todos confortáveis em suas cadeiras para evitar situações de indisposição.

Recomendo a todos a leitura do livro “Mantendo a Igreja Pura” do Rev. Augustus Nicodemus da Editora Cultura Cristã, esse livro aborda exatamente essa questão e explica passo a passo o processo de disciplina descrito no texto do Evangelho de Mateus capítulo 18.

Em Cristo.

Fernando Di Domenico

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Em Defesa de Cristo - Lee Strobel



O jornalista Lee Strobel, que considerava-se ateu, investigou as evidências de Jesus a partir de fatos que pudessem provar a veracidade do cristianismo, ou desmascará-lo. Preparado para saber o que ele descobriu e o que as provas indicam? Então acompanhe ao documentário no vídeo abaixo.

O documentário resume a pesquisa de Lee sobre as seguintes abordagens:

1 - AS FONTES:

Pode-se confiar nas biografias de Jesus?
As biografias de Jesus resistem à investigação minuciosa?
As biografias de Jesus foram preservadas de modo confiável?
Existem evidências confiáveis a favor de Jesus além de suas biografias?
A arqueologia confirma ou contradiz as biografias de Jesus?

2 - JESUS

Jesus estava realmente convicto de que era o Filho de Deus?
Jesus estava louco quando afirmou ser o Filho de Deus?
Jesus apresentou os atributos de Deus?
Jesus — e só ele — enquadra-se no perfil do Messias?

3 - A RESSURREIÇÃO

A morte de Jesus foi uma fraude e sua ressurreição, um logro?
O corpo de Jesus realmente desapareceu do túmulo?
Jesus foi visto vivo depois de sua morte na cruz?
Existem fatos secundários que apontam para a ressurreição?

Documentário baseado no Livro "Em Defesa de Cristo" de Lee Strobel.

"Esta investigação acabou tomando mais de dois anos da minha vida. De certa forma foi a história mais estimulante que eu já pesquisei como jornalista" Lee Strobel

Assista:
 
 
 
Fonte: http://bereianos.blogspot.com.br/2013/02/em-defesa-de-cristo-lee-strobel.html#.URdmLfKlvIV

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Corrente "evangélica"



Corrente evangélica,o deus do próprio ventre (Rom 16.18), será novidade?

Recebi uma mensagem no celular a poucos minutos de um conhecido que me intrigou e me entristeceu mais ainda com a atual situação de conhecimento do que a bíblia ensina sobre a mensagem do evangelho, e de o que orar em nome de Jesus representa, neste caso orar em nome de “jezuis” , me senti compelido a escrever pelo menos mais de cinco respostas que gostaria de falar para este conhecido, que pelo que parece está inserido na mais nova moda do momento(não tão nova assim), o Deus Aladim, bom segue a mensagem recebida:

De:Deus para: você, leia por favor

Deus pai, caminhe pela minha casa e leve embora todas as minhas preocupações e doenças,e por favor vigia e cura a minha família em nome de Jesus...Amém! Esta oração é muito poderosa.Passe a 13 pessoas, uma benção está vindo em forma de um novo emprego, uma nova casa, ou casamento, saúde ou financeiramente. Isto é um teste! Será que Deus está em primeiro lugar na sua vida? Se sim, pare o que está fazendo agora, e envie!”

Vamos por partes, em primeiro lugar sim , Deus está em primeiro lugar na minha vida, e parei o que estava fazendo e vou enviar, mas o que vou enviar é um apelo as pessoas, que não caiam nessa furada de servir a esse deus da lâmpada, isso é idolatria, e também rejeitem a esse deus pequeno que é criado por mentes carnais sedentas somente pela bençãos que sua própria natureza almeja. Infelizmente esta é a realidade da maior parte das igrejas em nosso país, minhas respostas a essa mensagem, levo em consideração que o deus deste seculo cegou o entendimento dos incrédulos para que não lhes resplandeça a glória do evangelho de Cristo, que é a imagem de Deus.(2 Co 4.4),


Respostas:

Obrigado pela lembrança, mas a grande benção que devemos desejar realmente é o benefício da comunhão eterna com Cristo, que morreu por pecadores arrependidos, a benção que mais anseio é que o Espírito Santo, me capacite e me direcione a ser mais santo e separado por Deus e para Deus, por intermédio de Cristo.(Hb12.14)

Obrigado pela lembrança, mas sou grato pela maior de todas as bençãos, Deus enviou Seu Filho amado, para morrer em meu lugar, e essa a oração poderosa que desejo fazer, Deus me capacite a santificar o teu nome, viver para Sua glória, ouvindo a sua voz, através da única maneira a tua Palavra!(Jo3.16)

Obrigado pela lembrança em me mandar a mensagem, mas é importante lembrarmos qual é a mensagem de Cristo, ele veio a terra morrer por pecadores, aqueles que sentem necessidade de um salvador, então se Deus é o primeiro em nossa vida, aprendamos e prossigamos em conhecê-lo . De que forma? Pela bíblia(Jo 14.21)

Obrigado pela lembrança, mas note que o ensino claro da bíblia, ter Deus em primeiro lugar, não é seguir uma corrente, pelo contrário, Deus abomina vãs repetições , (Mt6.17), é sim fazer sua vontade através dos ensinamentos de Cristo, que morreu por pecadores arrependidos, e este é o ponto, somos arrependidos? Precisamos de um Salvador por não podermos salvar a nós mesmos?Esta é a benção que deve mais ser desejada por nós, a vida eterna, em comunhão com Cristo.

Obrigado pela lembrança, mas gostaria de lembrá-lo que orar em nome de Jesus, é orar segundo a suas próprias instruções, não é uma palavra mágica como “Abracadabra”, suas instruções podem ser encontradas na bíblia, a verdadeira benção é reconhecermos que somos grandemente necessitados de um Salvador,nos arrependendo e mudando de vida, porque se dizemos que estamos nele, devemos andar como ele andou (1 Jo 2.6), não nos conformando com este mundo,mas transformando pela renovação de nossa mente (Rom12.2).

Antes que alguém entenda errado qual é o ponto do texto, descrevo rapidamente o que penso sobre ter uma vida cristã:

Agradeço a Deus sim pelas bençãos que Ele proporciona em minha vida, não estou dizendo que não podemos ou devemos desejar ter uma vida confortável, mas o ponto aqui é :

Porque onde estiver seu tesouro ,aí estará também o vosso coração .(Mt 6.21)


Soli Del Gloria

Guinho

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

A maior de todas as tragédias



A dor da tragédia ocorrida em Santa Maria ainda persiste no coração de todos nós, mas existe um fato que devemos ter sempre em mente em momentos como esse; nenhuma tragédia, nenhum genocídio, catástrofe, acidente, morte ou qualquer evento, é mais grave do que a morte de Jesus Cristo o filho unigênito de Deus.

O Verbo que se fez carne, o Deus encarnado, foi morto, crucificado. A morte mais humilhante e dolorosa que alguém poderia sofrer.

Jesus Cristo, santo, justo e bom sofreu punição pelos meus e pelos seus pecados.

Lembrando que até mesmo nessa tragédia em Santa Maria, Deus era uma das vítimas, pois toda a ofensa, todo o ato de injustiça, toda ação corrupta, todo o descaso, enfim todos os fatos que culminaram nesse evento em primeira instância tudo isso é contra Deus. Deus é o mais ofendido sempre. Todo o pecado em primeiro lugar é contra Deus.

Para os familiares das vítimas isso deve servir como alento, pois Deus conhece esse sofrimento, e se nós estamos gritando por justiça, pode ter certeza que nada disso está passando desapercebido aos olhos Daquele que procede toda a justiça.

Para que tenhamos sempre em mente o tamanho do sofrimento de Cristo segue abaixo um relato do ponto de vista médico acerca da crucificação.



Entrevista do jornalista Lee Strobel com o médico ALEXANDER METHERELL à respeito da crucificação de Jesus, conforme relatada nos evangelhos.

Metherel possui um diploma de médico (pela Universidade de Miami, na Flórida) e de doutorado em engenharia (pela Universidade de Bristol, na Inglaterra). Ele é reconhecido como diagnosticador pelo American Board of Radiology e foi consultor do National Heart, Lung, e do Blood Institute dos National Institutes of Health de Bethesda, em Maryland.

Foi cientista pesquisador e professor na Universidade da Califórnia, é editor de cinco livros científicos e escreve para publicações que vão desde Aerospace Medicine até Scientific American. Seus estudos engenhosos das contrações musculares foram publicados em The Physiologist e Biophysics Journal.

O senhor poderia traçar um quadro do que aconteceu com Jesus?
Tudo começou logo depois da última ceia ele disse. Jesus foi com seus discípulos para o monte das Oliveiras, especificamente ao jardim de Getsêmani. Ali, você deve lembrar, ele orou a noite inteira. Nesse processo, ele estava antevendo os eventos que ocorreriam no dia seguinte. Como sabia quanto sofrimento teria de suportar, foi bastante natural que experimentasse muito estresse psicológico.

Os evangelhos nos contam que ele começou a suar sangue durante esse tempo. Diga-me, isso não é um mero produto da imaginação frutífera de alguém? Isso não põe em xeque a exatidão dos escritores dos evangelhos?
De jeito nenhum replicou. Essa é uma condição médica conhecida, chamada hematidrose. Não é comum, mas está ligada ao alto grau de estresse psicológico. O que acontece é que a ansiedade extrema ocasiona a liberação de produtos químicos que rompem os vasos capilares nas glândulas sudoríparas. Em conseqüência, essas glândulas sangram um pouco, e o suor brota misturado com sangue. Não estamos falando de muito sangue, só uma quantidade bem pequena.

Isso tem algum outro efeito sobre o corpo?
O efeito disso é que a pele fica muito frágil, de modo que, quando Jesus foi açoitado pelo soldado romano no dia seguinte, sua pele devia estar muito, muito sensível.

Diga-me, como foi esse açoitamento?
Os açoitamentos romanos eram famosos por serem terrivelmente brutais. O comum é que consistissem em 39 chicotadas, mas com freqüência esse número era ultrapassado, dependendo do humor do soldado que as aplicava. O soldado usava um chicote de tiras de couro trançadas, com bolinhas de metal amarradas. Quando o açoite atingia a carne, essas bolinhas causavam hematomas ou contusões profundas, que se abriam nas chicotadas seguintes. Havia também, presos ao açoite, pedaços afiados de ossos, que cortavam a carne profundamente. As costas ficavam tão maltratadas que às vezes os cortes profundos chegavam a deixar a espinha exposta. As chicotadas cobriam toda a extensão do dorso, desde a nuca até o traseiro e as pernas. Era terrível.

Um médico que estudou os castigos infligidos pelos romanos disse: "À medida que o açoitamento continuava, as lacerações atingiam os músculos inferiores que seguram o esqueleto, deixando penduradas tiras de carne ensangüentada". Um historiador do século I de nome Eusébio descreveu um açoitamento nestes termos: 'As veias do sofredor ficavam abertas, e os músculos, tendões e órgãos internos da vítima ficavam expostos". Sabemos que algumas pessoas morriam desse tipo de suplício antes de chegar a ser crucificadas. No mínimo, a vítima sofria dores terríveis e entrava em choque hipovolêmico.

O que quer dizer choque hipovolêmico?
Hipo significa "baixo", vol refere-se a "volume" e êmico significa "sangue"; portanto, choque hipovolêmico quer dizer que a pessoa está sofrendo os efeitos de perder grande quantidade de sangue explicou o médico. Isso ocasiona quatro coisas. Em primeiro lugar, o coração se esforça para bombear mais sangue, mas não tem de onde; em segundo lugar, a pressão sangüínea cai, causando desmaio ou colapso; em terceiro lugar, os rins param de produzir urina, para conservar o volume que sobrou; e em quarto lugar a pessoa fica com muita sede, pois o corpo pede por líquidos para repor o sangue que perdeu.

O senhor vê evidências nos evangelhos de que isso ocorreu?
Sim, certamente ele respondeu. Jesus estava em choque hipovolêmico quando se arrastou pela rua que subia para o lugar de execução no Calvário, carregando a viga horizontal da cruz. Ele acabou caindo, e o soldado romano ordenou a Simão que carregasse a cruz. Mais tarde lemos que Jesus disse: "Tenho sede", e uma esponja com vinagre foi estendida a ele. Por causa dos efeitos terríveis do açoitamento, não há dúvida de que Jesus já se encontrava em condição crítica mesmo antes de os pregos atravessarem suas mãos e pés.

O que aconteceu quando Jesus chegou no lugar da crucificação?
Ele deve ter sido deitado de costas, para que suas mãos pudessem ser pregadas em posição estendida na viga horizontal. Essa viga era chamada patibulum, até então separada da viga vertical, que estava fixada no chão de modo permanente.

Pregado com quê? perguntei. Pregado onde?
Os romanos usavam pregos grandes, com cerca de 15 centímetros, bem afiados. Com eles, atravessavam os pulsos Metherell disse, indicando uns dois dedos abaixo do seu pulso.

Eu pensava que os pregos haviam furado suas mãos. Isso é o que mostram todas as pinturas. Na verdade, essa se tornou uma maneira padrão de representar a crucificação.
Não, eles atravessavam os pulsos Metherell repetiu. Essa era uma posição firme que prendia a mão. Se os pregos furassem apenas a palma da mão, o peso do corpo a rasgaria e ele teria caído da cruz. Por isso perfuravam os pulsos, que eram considerados parte da mão, na linguagem da época. E é importante entender que o prego atravessava o lugar por onde passa o nervo central. Esse é o maior nervo que vai até a mão, e era esmagado pelo prego.

Que tipo de dor isso teria causado?
Deixe-me dizê-lo da seguinte maneira. Você conhece o tipo de dor que sente quando bate o cotovelo e leva um "choque"? Na verdade, você acertou um nervo, chamado ulna. A dor é muito grande quando você o acerta em cheio. Bem, imagine este nervo sendo apertado e esmagado por um alicate ele disse, enfatizando a palavra apertado enquanto girava na mão um alicate imaginário. A sensação seria semelhante à que Jesus experimentou.

A dor era totalmente insuportável Metherell continuou. Na verdade, ela está além da descrição por palavras. Foi necessário inventar uma nova palavra: dor excruciante. Essa palavra significa literalmente "da cruz". Veja só: foi necessário criar uma nova palavra, porque não havia nenhuma na língua que pudesse descrever a angústia terrível provocada pela crucificação. Depois de ter as mãos pregadas na viga transversal, Jesus foi erguido para que esta pudesse ser colocada sobre a viga vertical, e seus pés foram pregados nesta. Também os nervos dos pés foram esmagados, e a dor era semelhante à das mãos.

Nervos esmagados e cortados certamente causavam dor suficiente, mas eu precisava saber que efeito o fato de estar pendurado teria sobre Jesus.O que essa posição causa ao corpo?
Em primeiro lugar, os braços ficam imediatamente esticados, os ombros saem do lugar, as juntas se distendem 15 centímetros. Dá para calcular isso com equações matemáticas simples.

Isso cumpriu a profecia do Antigo Testamento, Salmos no salmo 22, que predisse a crucificação de Jesus séculos antes de ela ocorrer: "Todos os meus ossos estão desconjuntados".

Uma vez que a pessoa está pendurada em posição vertical esclareceu ele , a crucificação é, em essência, uma lenta agonia até a morte por asfixia. A razão para isso é que a tensão dos músculos e do diafragma deixa o peito na posição de inalar. Para exalar, a pessoa tem de firmar-se sobre os pés, para aliviar por um pouco a tensão dos músculos. Ao fazer isso, o prego rasga o pé, até se prender contra os ossos do tarso. Depois de conseguir exalar, a pessoa pode relaxar e inalar novamente. Depois tem de empurrar-se novamente para cima, para exalar, esfregando suas costas esfoladas contra a madeira áspera da cruz. Isso se repete até que a exaustão total toma conta, e a pessoa não consegue mais se erguer para respirar. Ao diminuir a respiração, ela entra no que é chamado acidose respiratória: o dióxido de carbono no sangue é dissolvido em ácido carbônico, fazendo a acidez do sangue aumentar. Isso faz o coração bater de modo irregular. Quando seu coração começou a bater irregularmente, Jesus deve ter entendido que estava chegando a hora da morte, e disse: "Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito". Depois morreu de ataque cardíaco.

Um pouco antes de morrer, e isso também é importante, o choque hipovolêmico deve ter feito o coração bater rapidamente por algum tempo, o que teria contribuído para fazê-lo falhar, resultando no acúmulo de líquido na membrana em torno do coração, chamado efusão pericardial, bem como em torno dos pulmões, chamado efusão pleural.

Por que isso é importante?
Por causa do que aconteceu quando o soldado romano se aproximou e, tendo quase certeza de que Jesus estava morto, confirmou a morte enfiando uma lança em seu lado. Provavelmente foi o lado direito; não temos certeza, mas pela descrição deve ter sido, entre as costelas. Ao que parece, a lança atravessou o pulmão direito e o coração, e, quando foi tirada, saiu um líquido a efusão que mencionei. Esse líquido tem aparência transparente, como água, e é seguido de um grande volume de sangue, como João, testemunha ocular, descreveu em seu evangelho.

João provavelmente não fazia nenhuma idéia da razão por que vira sangue e esse líquido transparente fluir. Certamente não era o que uma pessoa sem formação como ele poderia esperar. Mas sua descrição é coerente com o que a medicina moderna esperaria que acontecesse. A princípio, isso parecia dar credibilidade a João como testemunha ocular.

Espere um minuto, doutor protestei. Lendo com atenção o que João disse, vemos que ele viu sair "sangue e água": ele pôs as palavras intencionalmente nessa ordem. Porém, segundo o que o senhor disse, o líquido transparente teria saído primeiro. Portanto, temos uma discrepância importante aqui.
Metherell sorriu levemente.
Não sou um estudioso do grego ele respondeu , porém, de acordo com pessoas que são, a ordem das palavras no grego antigo não era determinada necessariamente pela seqüência dos fatos, mas por sua importância. Isso quer dizer que, como houve bem mais sangue do que água, para João faria sentido mencionar o sangue primeiro.

A essa altura, qual deveria ser a condição de Jesus?

Não havia absolutamente dúvida de que Jesus estava morto.

O evangelho diz que os soldados quebraram as pernas dos dois criminosos que foram crucificados com Jesus eu disse. Por que eles teriam feito isso?
Se quisessem apressar a morte, e, com o sábado e a Páscoa se aproximando, os líderes judeus com certeza queriam acabar com tudo antes do pôr-do-sol os romanos usariam o cabo de aço de uma lança romana curta para partir os ossos inferiores das pernas das vítimas. Isso as impediria de empurrar-se para cima com as pernas para respirar, e a morte por asfixia ocorreria em questão de minutos. É claro, o Novo Testamento nos diz que as pernas de Jesus não foram quebradas, porque os soldados já tinham verificado que ele estava morto e apenas usaram a lança para confirmá-lo. Isso cumpriu outra profecia do Antigo Testamento sobre o Messias, de que seus ossos não seriam quebrados.

Era um tempo de conhecimentos médicos e anatômicos muito rudimentares; como podemos estar certos de que eles não se enganaram ao declarar que Jesus não vivia mais?
Posso lhe garantir que esses soldados não freqüentaram uma faculdade de medicina. Mas lembre-se de que eles eram especialistas em matar pessoas esse era o trabalho deles, e o faziam muito bem. Eles sabiam sem sombra de dúvida quando alguém estava morto, e isso de fato não é tão difícil de determinar.
Além disso, se de algum modo um prisioneiro escapasse, o soldado responsável era morto no lugar dele, o que lhe servia de grande incentivo para certificar-se com segurança de que cada vítima estava morta antes de ser retirada da cruz.

Existe alguma mínima possibilidade, uma mínima possibilidade, de Jesus ter sobrevivido a isso?
Metherell balançou a cabeça e apontou o dedo para mim enfaticamente.
De jeito nenhum ele disse. Lembre que ele já estava em choque hipovolêmico da grande perda de sangue mesmo antes de a crucificação começar. Ele não poderia ter fraudado a morte, porque você não pode representar que não está respirando por muito tempo. Além disso, a lança enfiada em seu coração teria resolvido a questão de uma vez por todas. Os romanos também não estavam a fim de arriscar a própria vida deixando Jesus sair vivo dali.

Então arrematei quando alguém lhe diz que o que aconteceu com Jesus não passou de um desmaio na cruz …
Eu lhe digo que isso é impossível. É uma teoria fantasiosa sem nenhuma base factual possível.

Eu ainda não estava pronto para encerrar a questão. Correndo o risco de deixar frustrado o doutor, disse:
Vamos especular que o impossível tenha acontecido e que Jesus de algum jeito conseguiu sobreviver à crucificação. Digamos que ele conseguiu livrar-se dos panos em que estava enrolado, empurrar a grande pedra que foi colocada na entrada do seu túmulo e passar pelos soldados romanos que montavam guarda. Do ponto de vista médico, em que condição ele estaria quando foi encontrar seus discípulos?
Repito enfatizou que não há nenhuma possibilidade de ele ter sobrevivido à cruz. Mas, se tivesse, como poderia andar se seus pés foram perfurados daquele jeito? Como poderia aparecer na estrada para Emaús, pouco depois, e andar uma longa distância? Como poderia usar seus braços depois que eles foram distendidos e deslocados nas juntas? Lembre-se de que ele também tinha grandes ferimentos nas costas e o peito furado pela lança.

As conclusões de Metherell concordavam com as descobertas de outros físicos que estudaram o caso a fundo. Entre eles está o Dr. William D. Edwards, cujo artigo, de 1986, no Journal of the American Medical Association concluiu: "Claramente, o peso das evidências históricas e médicas indica que Jesus estava morto antes que fosse feito o ferimento em seu lado [...]. Por essa razão, inferências baseadas na pressuposição de que Jesus não morreu na cruz estão em conflito com o conhecimento médico moderno".


Definitivamente a maior de todas as tragédias.

Em Cristo.

Fernando Di Domenico

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Ensina a Criança



Que diferença no ensino dos filhos deve haver entre os cristãos e a sociedade ?

Educa a criança no caminho em que deve andar , e até envelhecer não se desviará dele. Pv 22.6

Em cima deste conselho , instrução de sabedoria, podemos sem nenhuma duvida retirar valioso ensino para os nossos filhos nos dias atuais. Algumas verdades devem ser realçadas para podermos compreender o que essa instrução nos remete.

Primeiramente devemos entender que a educação de crianças cristãs não devem ser comparadas a uma competição ou disputa entre pais crentes e descrentes ,(no caso dos cristãos), devemos sempre ter muito claro que as crianças devem ser instruídas não para vanglória pessoal , ou como intuito de mostrar que somos melhores do que os descrentes, lembrem-se, tudo isso é pela graça de Deus, e para a glória de Deus, nós não devemos mostrar o ensino cristão para sociedade como molde de disputas psicológicas, de qual pai é melhor, ou mais bondoso, porque desta forma entraremos na mesma esfera de moralidade desfigurada em que a sociedade atualmente se encontra, o dever dos pais cristãos é com longanimidade e mansidão , exemplificar o motivo da educação cristã, mostrar maneira da educação cristã e o objetivo da educação cristã.

Precisamos em seguida diferenciarmos o que o texto relaciona com instrução, e o que nossa sociedade entende como instrução, esta diferenciação é vital para um real entendimento do texto e aplicação prática na vida das crianças. Somente desta maneira elas poderão desfrutar deste conselho de sabedoria, com a aplicação prática de seus pais, que devemter um relacionamento intimo com Deus e Sua palavra.

Quando falaremos sobre a causa, a maneira e o objetivo ,de modo nenhum conseguiremos ser exaustivos e nem determinar que tudo que falaremos é todo material que abrangem estas colocações, mas sim poder mostrar quais devem ser as características que devem permear a educação das crianças:

Exemplificar o motivo:

Devemos ter consciência de que as crianças nascem em pecado e são pecadoras, e isso fará muita diferença, porque os pequenos e insignificantes erros, como uma mentirinha e coisas do tipo, são pecados contra um Deus santo e é isso que as crianças devem aprender, desde pequenos, que todo pecado que cometem contra as pessoas , primeiramente cometem contra um Deus santo, a intenção deve ser de mostrar como o coração é enganoso e inclinado desde cedo contra Deus, por este motivo, porque todos nascemos mortos em delitos e transgressões, alheios a Deus,as crianças precisam saber e entender sobre isso.

Demonstrar a maneira :

As crianças precisam ser instruídas, a maneira como serão ensinadas fará muita diferença, em última instancia, se elas não obedecerem a seus pais que enxergam, como poderão obedecer a um Deus invisível? As crianças devem desde cedo aprender que devem viver para glória de Deus,  e uma vez entendendo isso, que devem fazer tudo em suas vidas para que Deus seja glorificado, é natural e óbvio que aprenderão a ter um caráter reto e honesto diante de Deus e da sociedade, não serão pessoas melhores para ganhar favor de Deus, honrarão a Deus com suas vidas e assim serão pessoas melhores para sociedade, a diferença parece sutil ,mas é muito grande, sem o manual apropriado para instrução, podemos ser inclinados a ensinar de acordo com a moda ou a cultura, e por termos este manual infalível , a bíblia, devemos conhecê-lo e apresentá-lo inteiramente a elas.

Qual o objetivo :

A causa última da vida das crianças deve ser ter comunhão com Deus e se alegrar nele eternamente, através da comunhão com Cristo desfrutar da vida eterna, vida eterna essa que é primeiramente a comunhão eterna com Cristo, confiança e deleite nele, aprender a reconhecer o estado em que se encontravam e o porque Cristo deve ser o motivo da mais alta adoração e deleite, de que adianta induzirmos nossos filhos a serem os melhores , mais inteligentes e ricos, sem Cristo em suas vidas? Não terá valido de nada, porque de que adianta ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?

Através destas colocações, o texto citado no inicio toma formato, podemos entender o que o verso fala com instrução, em contrapartida da sociedade. Devemos deixar claro que nossos filhos e filhas não são a realidade objetiva em si mesmos, existe uma realidade objetiva que governa todas as coisas fora deles, o Deus da bíblia, esta verdade deve ser escancarada e apresentada desde cedo, não devemos e nem temos o direito de procrastinar essas belezas, a beleza da glória do evangelho de Cristo, a verdadeira felicidade só será encontrada no verdadeiro caminho , Jesus Cristo, não teremos desculpas de nossos filhos conhecerem mais sobre as "curiosidades do mundo", do que do Senhor Jesus , eles entenderem mais de matemática do que de teologia.

Deixemos de lado o entendimento de que ser bons pais está relacionado somente com ensinar boa conduta e conforto a nossos filhos, toda essa moralidade sem Cristo, não passará de palha , pronta para ser queimada, porque sem Cristo ninguém  poderá ser desculpável diante de Deus, não sejamos pegos envergonhados naquele dia, de que tudo que fizemos por nossos filhos foi desperdício , de que nada mais foi do que uma casa edificada em cima da areia.

Que possamos quando questionados qual a diferença entre a a maneira como ensinamos e a maneira de que o mundo ensina, tenhamos muito claro que não são os nossos méritos que farão a diferença, sempre tenhamos prontamente a resposta de que é a cruz que separa o ensino , é o evangelho, não nós, que é poderoso por si próprio, a ponto de penetrar no mais intimo,  toda base da instrução estará firmada em uma rocha inabalável que nada pode destruir, através de Cristo e para glória de Deus.

Soli Del Gloria

Guinho