quarta-feira, 11 de abril de 2012

Caminho para o Reino



http://4.bp.blogspot.com/_sGtf1-L3OY0/TMIu5napGhI/AAAAAAAABDA/HckxWI87PE8/s1600/estrada_primavera.jpg

Quando pensamos, em Reino dos céus, logo todos se colocam dentro dele, sem mais delongas, normalmente a grande maioria das pessoas, entende como se já fizessem parte, porque se consideram boas pessoas, com um coração bondoso, e que tais fatos os acrescenta grande vantagem diante de Deus, infelizmente esse é um engano que tem levado tantos dentro como fora das igrejas, a ficarem cada vez mais distantes do reino, porque a porta de entrada para esse chama-se arrependimento, única porta, sem atalhos, independente de quantidade de sinceridade que possamos ter.

Sem o arrependimento, não temos como experimentar do amor do Pai, essa é em ordem cronológica a mais importante do novo testamento, João Batista, foi o primeiro que pregou sobre essa doutrina tão importante, ele pregava para que as pessoas se arrependessem e se batizassem, ele pregava sobre o batismo de arrependimento, não muito distante disso, o próprio Jesus, incentivava as pessoas, de que o reino estava próximo, então que se arrependessem e acreditassem no evangelho, (Mc 1:14-15) seria impossível retirar dos ensinamentos de Jesus, a doutrina do arrependimento, sem estraçalhar e destruir seus ensinos, por isso todos que se aproveitam de versículos isolados, para justificarem de suas vidas impiedosas e longe do arrependimento, não conseguirão, a menos que destruam o novo testamento.

O arrependimento tem sido muitas vezes distorcido ou ensinado de uma maneira superficial, onde ele é crucial e central, o cristianismo tem como base o arrependimento, é constituído de três partes distintas, mas que não podem ser separadas, como na parábola do filho pródigo (Lc 15:11-21) ou na parábola do filho arrependido (MT21:28-32), primeiramente temos que reconsiderar, ou seja, pensar novamente sobre o que já tínhamos decidido, como aquele filho que disse, não irei trabalhar na vinha, mas reconsiderou, ele parou e pensou se sua decisão era a certa, muitos já param por aqui mesmo, porque sequer pensam em reconsiderar, e este é o primeiro ponto, logo em seguida vem o reconhecimento, honestamente olhar para si mesmo e admitir que estava errado em relação a si mesmo e em relação a toda a situação, quantos de nós não admitimos nossa condição diante de Deus? Reconsiderando e admitindo o quanto estávamos errados, e que temos pecado contra o Senhor?

Esse é o segundo passo, porém muitas pessoas também param nesse estagio, porque elas até reconsideram e admitem, mas nunca percorrem o caminho do terceiro passo e assim nunca se arrepende genuinamente, esse terceiro passo chama-se agir ou obedecer, da mesma maneira que aquele filho disse que não trabalharia, ele reconsiderou reconheceu e obedeceu, ele foi trabalhar na vinha, hoje quantos de nós mudamos realmente de atitude para com nossos pecados e desobediências com o Altíssimo?

Conseguimos olhar para dentro de nós e reconhecer o quanto estamos errados? Sendo honestos com nós mesmos? Igualmente a esses filhos nas parábolas. Foram honestos consigo mesmos e mudaram suas atitudes, ou ainda continuamos a nos defender, justificando e dando desculpas para nossas vidas de pecado e desobediência, e assim levando uma vida que não agrada a Deus?

Enquanto não levarmos a sério, o arrependimento como base para alcançar o amor e perdão de Deus, estaremos em total desobediência e longe do reino dos céus, temos que confiar que o Pai Celeste não erra, como nossos pais humanos, muitas vezes erram, e em obediência confiar, mesmo sem ter total entendimento, mas saber que Ele sabe o que é melhor, todos que ainda acham que não há motivo para que se arrependam, deixo alguns questionamentos para você, como aqueles filhos, serem honestos e ver se estão colocando em pratica nas suas vidas:

Estou colocando DEUS em primeiro lugar, como prioridade?

Estou vivendo próximo, com intimidade com Ele?

Estou vivendo de uma maneira que agrada Deus?

Estou buscando a Deus, pela motivação correta, para glorificá-lo?

Reconheço somente Cristo como meu salvador, mas não somente isso e sim querer viver como Ele viveu?

O orgulho nunca fala mais alto na minha vida, antes sempre busco ser humilde como Cristo ensinou?

Lembremo-nos que o Cristianismo não faz distinção de pessoas, por serem boas e más inteligentes e ignorantes, não nos separa das prostitutas, bandidos, homossexuais, o cristianismo não faz acepção de qualidades, ele separa sempre os arrependidos, dos que não se arrependem de sua maneira de viver, é isso que ele ensina.

Glorias a Deus.

Guinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário