segunda-feira, 30 de abril de 2012

É Tudo ou Nada!





Então, eles deixaram imediatamente as redes e o seguiram.
Mc 1.18

 Quando ouviram o chamado de Cristo, Simão e André obedeceram imediatamente, sem questionar. Se colocássemos sempre em prática, sem demora e com zelo resoluto, aquilo que ouvimos, a nossa leitura bíblica não falharia em enriquecer nossa vida espiritual. Um homem não perderá seu pão, se o comer imediatamente.

Ele também não ficará destituído do benefício da doutrina, se já agiu motivado por ela. Muitos leitores e ouvintes tornam-se comovidos por uma mensagem e demonstram a intenção de mudar de atitude. Mas o propósito é um botão que logo cai da árvore e do qual não se colhe nenhum fruto. Tais pessoas esperam, vacilam e, por fim, esquecem. Assim como poças de água em noites de frio intenso e dias de sol, tais pessoas são descongeladas por um pouco, para serem congeladas novamente. Aquele amanhã fatal é o assassino das resoluções instáveis; é o matadouro das boas intenções.

Devemos ser cumpridores da Palavra. A verdade mais proveitosa é a verdade obedecida e praticada. Se você foi impressionado por algum dever, enquanto estava meditando nas Escrituras, apresse-se em cumprir tal dever, antes que a iluminação santa se afaste de sua alma. Deixe a sua rede e tudo o que você tem, ao invés de ser encontrado como uma pessoa rebelde à chamada do Senhor. Por meio da demora, não dê lugar ao diabo! Apresse-se, enquanto a oportunidade e o desejo estão em bendita conexão. Não seja apanhado em sua própria rede; quebre a malha do mundanismo e venha para onde a glória o chama.

Charles H. Spurgeon

[Via]

domingo, 29 de abril de 2012

Pregação à Moda Antiga: Atordoante


http://blig.ig.com.br/blogdopregador/files/bibliaecruz.jpg

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Vaidade


http://2.bp.blogspot.com/-UQNUwxrcFlc/Tami44CDWeI/AAAAAAAAADo/k1DjKMuuBxQ/s1600/VAIDADE.bmp


Vaidade: Sentimento de grande valorização que alguém tem em relação a si próprio. = VANGLÓRIA

A vaidade é sim um pecado, e como todo pecado deve ser combatido pelo cristão sob o risco de nos afastarmos de Deus e Suas vontades.

Trazendo para o nosso contexto atual, há no meio cristão, principalmente entre as mulheres, uma confusão sobre o que é vaidade, entende-se que uma mulher "vaidosa" é aquela que cuida em vestir-se bem e ter uma "boa" aparência.

Então, como saber diferenciar? Como encontrar um equilíbrio, para que os cuidados com a minha aparência não se transforme em vaidade? Segue abaixo alguns pontos a serem considerados:

Primeiramente, temos que entender que a nossa definição de beleza, na grande maioria das vezes, nem de longe se parece com a definição de beleza que Deus tem de nós. Nossa definição é baseada, basicamente, no padrão que o mundo nos impõe como sendo belo. E toda definição de conceitos que o mundo tenta definir, sem levar em consideração o que Deus entende por esses conceitos, a tendência natural nossa é distorcer completamente as vontades de Deus para as nossas vidas, a tendência é seguirmos os conceitos do mundo ao invés dos conceitos de Deus.

Por longo de toda a Bíblia temos inúmeros exemplos de pessoas belas aos olhos de Deus, mesmo sendo todos pecadores, temos pessoas que agradaram a Deus com suas vidas, e, eu não me lembro de nenhum caso, onde alguém foi exaltado por conta da sua aparência bonita e bem vestida.

Se levarmos em conta que tudo que não provém de fé é pecado (Rm 14:23) e que temos que fazer tudo para a glória de Dele (1Co 10:31). O tempo que a gente gasta preocupados com a nossa aparência está sendo usado para glorificar a Deus?

Todo o tempo que perdemos não volta mais, somos instruídos pela Bíblia a remir nosso tempo aqui na Terra. Além do tempo que gastamos com isso, devemos considerar o dinheiro gasto. Será que esse dinheiro investido glorifica a Deus de alguma maneira?

Faça uma comparação simples: o tempo e o dinheiro investido com a minha aparência se comparados com o tempo diário e o dinheiro que eu invisto no Reino de Deus é semelhante? Se for parecido algo está muito errado. O tempo e dinheiro devem ser infinitamente menores se considerarmos o valor eterno que nossa alma possui, comparado ao valor mortal do nosso corpo.

Somos um povo que deve refletir a Cristo em nossas vidas. A nossa aparência reflete a Cristo ou reflete a vaidade?

Não quero ousar dizer com tudo isso, que não devemos ter nenhum tipo de cuidado com nossa aparência, que não devo me vestir apropriadamente, e que uma mulher não deve se arrumar para agradar o seu marido, mas temo que a real motivação não seja essa. O nosso orgulho muitas vezes nos impede de identificar as reais motivações no nosso coração. Não se esqueça, vaidade é igual a vanglória.

O foco sempre tem que ser glorificar o Senhor. Você tem glorificado a Deus com sua maneira de ser, como seu tempo, com o seu dinheiro e com sua aparência?

Que não sejamos como o Rei Salomão que um dia analisou sua vida e descobriu que tudo era vaidade. 

Eclesiastes 1:2 "Vaidade de vaidades, diz o pregador, vaidade de vaidades! Tudo é vaidade. "

Que Jesus nos ajude a ter esse equilíbrio para que possamos fazer da nossa vida toda uma oferta a Deus.

Fernando.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Os mais infelizes de todos os homens


http://1.bp.blogspot.com/-Dgsb3zRt0KY/TddbNtkWZuI/AAAAAAAAAWo/KjMjiX1JBH4/s1600/infeliz.jpg


1 Coríntios 15:19 "Se a nossa esperança se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens."

Quantas pessoas tem depositado todas as suas forças, toda a sua fé, toda a sua esperança em alguns poucos 80, 90, no máximo 100 anos.

É exatamente como Paulo nos diz, quão infelizes são essas pessoas, vivendo atrás dos seus próprios desejos, emoções, sentimentos, prazeres dos mais diversos.

Correndo e dedicando suas vidas, como se, em algum momento, fosse possível chegar ao auge da felicidade e do contentamento, como se fosse possível um dia saciar-se de tal maneira que pudéssemos descansar em paz com a consciência tranquila de que cumprimos o nosso dever.

Mera e doce ilusão, quando colocamos metas terrenas em nossas vidas, como algum desejo pessoal do tipo: comprar um carro novo, comprar uma casa, fazer a viajem dos sonhos, progredir profissionalmente, até mesmo desejos mais louváveis como constituir uma família. Nós correremos, nos dedicaremos ao máximo, muitos de nós daremos nossas vidas por completo para alcançar um determinado objetivo, e quando, finalmente alcançarmos, vamos perceber que não passou de uma satisfação momentânea, passageira e que logo após traçaremos outros objetivos, para tentar dar uma nova razão ao nosso viver, para termos um objetivo de vida.

Quão infelizes somos se continuarmos vivendo seguindo nossos próprios desejos e vontades, desejos esses, que são gerados longe de Deus, e por consequência são instáveis, fúteis e passageiros.

A nossa esperança não pode ser limitada apenas para esta vida, caso contrário, estamos condenados a sermos os mais infelizes de todos os homens. A própria história da humanidade nos mostra que isso é uma grande realidade e uma grande verdade. Nos mostra que não existe felicidade e alegria duradoura longe de Deus.

Só seremos completamente felizes quando a nossa esperança estiver em algo duradouro e não passageiro, semelhante a nossa vida aqui na Terra. Esperança como a de um dia encontrarmos pessoalmente o nosso amado Jesus em sua cidade celestial.

Não importa as dificuldades, sofrimentos e provações que possam ocorrem em nossas vidas, somente o que importa é esse desejo incontrolável de um dia vermos a Cristo face a face.

Que Jesus nos ajude.

Fernando.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Podemos confiar nos 66 livros da Bíblia?


http://igrejacordeirodedeus.com.br/bibliaonline/asset/img-biblia.jpg

segunda-feira, 23 de abril de 2012

E Quem Nunca Ouviu o Evangelho?


http://andreestefane.files.wordpress.com/2012/04/bebe-com-fone-de-ouvido_1_thumb7.jpg

domingo, 22 de abril de 2012

Satanás fez o mal cometer suicídio na cruz


http://www.pastoralis.com.br/pastoralis/html/uploads/photos/401.jpg

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Tamanhos Diferentes


http://www.mdig.com.br/imagens/guinness/Sultan_Kosen_e_He_Pingping2.jpg


"Eis que as nações são consideradas por Ele como um pingo que cai em um balde..." "Todas as nações são perante Ele como coisa que não é nada; Ele as considera menos do que nada, como um vácuo." Isaías 40:15 e 17

Quando vamos reconhecer o nosso tamanho perante Deus?

O homem natural quer ser como Deus, governar sua própria vida, seguir o seu próprio caminho, como se tivesse criado a si mesmo com um único propósito, satisfazer os seus desejos pessoais. Orgulhoso, soberbo, egoísta, assim somos nós, até que tenhamos a consciência do nosso estado caído. Até que possamos compreender que não temos domínio nem sobre o nosso corpo.

Nesse momento de consciência, nesse avivamento espiritual que Cristo nos concede, sentimos uma tristeza profunda pelo nosso estado pecaminoso. Admitimos que precisamos de um salvador, pois nós mesmos não conseguimos nos salvar da ira vindoura, com isso encontramos a graça.

Muitos, mesmo assim, tentam entender a maneira de Deus agir e pensar, tentam raciocinar como Deus, fruto do orgulho impregnado em nossos corpos mortais. Não conseguem entender o seu tamanho comparado com a grandiosidade do Todo Poderoso. Por não entenderem com suas próprias mentes, simplesmente, recusam aceitar diversas doutrinas bíblicas, ao invés, de aceitarem os decretos e desígnios que Deus determinou antes mesmo da fundação do mundo.

Assim como o próprio Deus falou através do profeta Isaías para confortar Ezequias: "Acaso, não ouviste que já há muito dispus Eu estas coisas, já desde os dias remotos o tinha planejado?..." Is 37:26.

Deus é soberano em tudo, não deixemos o nosso orgulho embaçar a visão grandiosa que temos do nosso criador, e, com humildade possamos reconhecer a nossa pequenez em comparação a ELE.

Glórias a Deus.

Fernando.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Mudança radical


http://www.osmais.com/wallpapers/201203/opostos-extremos-wallpaper.jpg


Não sejais como o cavalo ou a mula, sem entendimento, os quais com freios e cabrestos são dominados, de outra sorte não te obedecem. Salmo 32:9

Povo que se distancia de Deus, por achar que não há necessidade de depender dele, de seu favor, de maneira nenhuma se arrependem voluntariamente, e tampouco conseguem enxergar isso, lhes falta entendimento de Deus porque em seus corações de pedra assim não sentem desejo, porque se reconsiderassem jamais sentiriam se completos, muitas vezes são tão teimosos como cavalos e mulas, que não reconhecem seus pecados e muito menos acham que estão errados.

Que possamos nos achegar tão logo reconheçamos a dependência da graça de DEUS (Sl 32:5), deixemos todo esforço da teimosia que habita em nossos corpos e corações ainda mortais e corruptos, e que nos conduzem a uma morte muito pior, que é a morte espiritual, morte essa que nos mantém afastados da presença da graça de Deus, não sejamos como a mula, que precisa de cabresto e relho, porque de outra maneira não entende, a única maneira a que obedecem é através da força bruta, paremos de insistir na teimosia de que não precisamos nos jogar nos braços de nosso Salvador, entregando toda nossa vida, na mão daquele que criou o universo, que grande conforto esse.

Aqueçamo-nos com a ideia de que sem a graça do Onipotente é impossível sermos salvos, sejamos gratos e não displicentes, tenhamos deleite nas sagradas escrituras, a tal ponto de podermos chamá-la de alimento vivo, saiamos de toda inércia que insiste em se alojar nos corações e assim contaminando todo o restante do nosso ser, sejamos como Abraão que saiu em obediência e confiança, diferente de Jonas que insistiu em teimar, até o ponto de reconhecer que agia errado, pela fé Abraão confiou que Deus é fiel, justo e bom, apesar de não entender qual era completamente o plano, ele foi, e apressou na obediência e não na teimosia.

Devemos nos preocupar sim, prosseguindo contra a torrente da cultura popular, que Deus se contenta com qualquer migalha de nossas vidas, porque isso não é verdade, sem mudança verdadeira de vida, é impossível agradar ao Senhor, precisamos nascer de novo, diferentes, não tolerantes com nossa vida moderada no que se diz relacionada com Deus, nos tirando da posição de servidos para servos, porque assim como Cristo veio para servir, devemos nós também desejá-lo.
Deixemos a teimosia e a preguiça, afastados dos tesouros que se encontram no coração verdadeiramente cristão, porque do bom coração o homem bom tira de seus tesouros, sejamos esse homem, não o que não tem de onde tirar coisas boas, porque seu coração é teimoso e insensato, quando ele diz , não há Deus, o temor do Senhor é o principio da sabedoria, afinal de contas a boca fala do que tem abundancia no coração, e sem duvidas onde esta nosso coração, ai também estará nosso tesouro.

Glorias a Deus

Guinho

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Um Clamor


http://conectadosemcristo.files.wordpress.com/2011/11/clamor.jpg


Isaías 33:2 - "Senhor, tem misericórdia de nós; em ti temos esperado; sê tu o nosso braço manhã após manhã e a nossa salvação no tempo da angústia."

Assim como Jerusalém clamava em grande angústia pela opressão imposta pela Assíria, desta mesma forma, clamamos nós, filhos do Deus Altíssimo.

Senhor, tende misericórdia de nós, pois somos o Teu povo e pouco refletimos a Tua glória em nós. Temos acesso a toda a Tua revelação e pouca importância damos a ela, não buscamos Te conhecer profundamente, ao invés, preferimos palavras doces proferidas por pessoas, seres humanos, pecadores, assim como eu sou. Procuramos outras revelações, pois a Tua própria, escrita por homens inspirados por Ti, essa já não é suficiente.

Nos ensina a esperar em Ti, nos ensina a sermos dependentes de Ti, nos ensina a ter fé, a acreditar, pois se acreditássemos realmente nas Tuas promessas, oraríamos sem cessar, se tivéssemos fé de verdade buscaríamos o Teu reino em primeiro lugar nas nossas vidas, pois, teríamos a certeza que o restante, todo o restante, que precisamos para sobreviver nos seria acrescentado.

Saberia que Tu és o meu braço, dia após dia, Tu és o meu sustento, o meu alimento, o meu consolo, a minha alegria e esperança.

Saberia que no sofrimento, na angústia és Tu a minha salvação. Encontro em Ti todas as coisas que eu preciso tanto para minha vida nesta terra, quanto na vida que está por vir, pois: "Todas as coisas foram feitas por intermédio Dele, e, sem Ele, nada do que foi feito se fez". João 1:3

Senhor tende misericórdia de nós!

Fernando


terça-feira, 17 de abril de 2012

De Paulo para as Igrejas


http://mulheradventista.com/wp-content/uploads/2010/07/profeta-escrevendo.jpg


Já estais fartos! já estais ricos! sem nós reinais! e quisera reinásseis para que também nós viéssemos a reinar convosco! Porque tenho para mim, que Deus a nós, apóstolos, nos pôs por últimos, como condenados à morte; pois somos feitos espetáculo ao mundo, aos anjos, e aos homens. Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós sábios em Cristo; nós fracos, e vós fortes; vós ilustres, e nós vis. Até esta presente hora sofremos fome, e sede, e estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa, E nos afadigamos, trabalhando com nossas próprias mãos. Somos injuriados, e bendizemos; somos perseguidos, e sofremos; Somos blasfemados, e rogamos; até ao presente temos chegado a ser como o lixo deste mundo, e como a escória de todos. 1 Coríntios 4:8-13

Oh! quão atuais são essas palavras de Paulo para repreensão da igreja.

Igrejas fartas, ricas, enquanto a grande maioria da população mundial passa fome. Ricas em nome de Cristo, ganhando dinheiro com advertências mosaicas das leis impostas ao povo de Israel. Ensinando as pessoas a contribuírem por medo ou pela barganha com Deus em troca de repreender o "devorador".

Enquanto os cristãos são chamados de louco por causa da mensagem da graça, chamados de loucos por abandonarem o velho homem. Enquanto os cristãos abandonam deus desejos pessoais por amor a Cristo, vocês são chamados de sábios, são exaltados entre a sua membresia, muitos cobram até cache para pregar o que, erroneamente, chama de palavra de Deus, e que em nada lembra o evangelho transmitido pelos apóstolos.

Possuem, muitas vezes, até influência política, ao ponto de dividirem espaço no púlpito com políticos para pedir votos e quem sabe, obter vantagem pessoal em cima disso. O famoso "uma mão lava a outra", o que há de errado nisso? Tudo, estão se vendendo por trocas de favores, desonram ao que Jesus fez por nós na cruz.

Enquanto isso o povo com fome, sede, e nudez, e em muitos lugares sendo esbofeteados, presos, mortos, sem poder ter morada fixa, pois são um povo perseguido. Pessoas que honram a graça de serem chamados filhos de Deus.

Enquanto o cristão está fadigado, trabalhando com suas próprias mãos, você está trabalhando com as mãos dos outros, explorando um povo cansado de ser explorado.

E mesmo assim, depois de tudo isso o verdadeiro cristão ainda afirma: "Quando somos injuriados, e bendizemos; somos perseguidos, e sofremos; Somos blasfemados, e rogamos; até ao presente temos chegado a ser como o lixo deste mundo, e como a escória de todos".

Rogo que a igreja visível se volte ao evangelho de Cristo, se volte ao arrependimento, a humildade, ao amor, ao cuidado para com as pessoas. Se volte para Cristo.

Que Jesus nos ajude

Fernando.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Fervor na adoração


http://3.bp.blogspot.com/-b7uEC_h6uRg/TcLmrliFqnI/AAAAAAAAACw/3fRpH9fw3sQ/s1600/adora%25C3%25A7%25C3%25A3o.jpg


Porventura não nos ardia o coração quando, ele pelo caminho, nos falava, quando expunha as Escrituras? Lucas 24:32

Os discípulos ainda não criam totalmente nas palavras de Jesus, antes da ressurreição, pois Jesus declara que eram tardos de coração, também esperavam que o Messias, dominaria pela força, porque de que forma um Cristo ungido poderia vir a viver neste mundo, e ainda mais como servo, esse era o sentimento desses discípulos. Bem aventurados somos quando esperamos ainda pelo Cristo que voltara em sua magnitude e poder, contemplarmos que Ele se fez servo, pelos que creem, acaso não poderia ter se feito poderoso já na sua primeira vinda e destituído e rebaixado todas as coisas por seu poder?

Sem duvida nenhuma que sim, todavia assim não convinha, porque no decreto de Deus para cumprimento das escrituras, veio como servo sofredor, que tremenda historia de compaixão podemos constatar, a vista desse sagrado livro, que nos deleitemos profundamente em sua revelação especial escrita, por onde Deus nos fazer saber acerca de Si próprio e de nos mesmos, nos afastando como disse o apostolo Paulo, que qualquer outro evangelho que não seja o de Cristo, a esse ensino seja anátema.

Como aqueles discípulos que sentiam seus corações ardendo pela exposição da palavra pura, descrita nas escrituras, comportemo-nos com tamanha reverencia pelo Seu grandioso poder, palavra essa, tão poderosa que pode ate mesmo separar alma e espírito, o que descreve o quanto é poderosa para separar algo inseparável, visto os discípulos que se alegravam por escutar sobre as escrituras, servos de Cristo, sejamos os que buscam representar a Cristo, então como representantes devemos seguir seus exemplos, e assim cada dia mais nos assemelharmos a Ele.

O Senhor ressuscitou, e Ele reina, governa majestoso de tal maneira, que o Senhor desvendou os olhos de Cleopas, e este resgatou o reconhecimento de Cristo, nos acheguemos desejosos de que nossos corações sejam desvendados, abertos, vivificados, a ponto de realmente amar a Cristo em espírito e verdade, lembrem-se do Senhor vem o novo coração, clamemos por ele, para que os corações de pedra possam ser substituídos por corações de carne, onde o Senhor pavimenta o caminho, para firmemente andarmos por sua estrada, estreita, difícil e reta, a ponto de vivermos para Ele, porque como diria o rei Salomão em toda sua sabedoria, riqueza e poder, tudo que buscamos somente por nossos próprios desejos, não passam de vaidade. (Ec 12:8)

Prossigamos firmes e decididos por essa estrada, a ponto de amar ao nosso redentor em espírito e verdade, sabendo que a palavra do Senhor nos arde o coração, nos traz vida, sabedoria e nos liberta do engano, (Jo 8:32), que esse desejo crescente de nos abastecermos com coisa que nos edificam e glorificam o nosso Deus, em qualquer situação de nossas vidas, que nosso coração possa como os discípulos arder pelos fundamentos básicos de Cristo, ate que enchamos nosso coração e mente, em uma combinação equilibrada e distinta de razão e emoção, compartilhando juntas, para que como aqueles discípulos, ardiam seus corações porque escutavam sobre a palavra viva, e verdadeira, sejamos também nos levados a clamar pelo nosso novo coração, que provem somente do Senhor, o coração que arde pela sua palavra, clamemos por ele!

Gloria a Deus

Guinho

domingo, 15 de abril de 2012

Diante do Todo Poderoso


http://atuleirus.weblog.com.pt/arquivo/formiga.jpg

E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo. Mateus 10:28

Ora se Deus não é soberano em todas as coisas, de que maneira podemos confiar em suas promessas? (Nm 23:19), Afinal aquele quem diz, que ate mesmo os fios de cabelo em nossas cabeças estão contados e que nem mesmo em sua insignificância um pardal cairá do ninho, sem Seu consentimento.

Logo entendemos que para essas coisas acontecerem, não simplesmente Deus o sabe pela sua onisciência, e sim porque providencialmente controla o tempo e até mesmo as circunstancias de acontecimentos insignificantes, como o florescer de um lírio dos campos, ou de uma caminhada de formigas, Deus controla os menores e mais insignificantes detalhes e assuntos triviais, da mesma maneira que Satanás teve que pedir permissão de Deus para tocar em seu servo, Jó (Jó 1:12).

Este é sem duvidas o criador de todas as coisas, Aquele a quem todas as coisas se sujeitam, Deus controla a historia e não o contrario nos acheguemos humildes e quebrantados em Sua presença, pois o Senhor não rejeita um coração arrependido, depositemos toda nossa esperança no único que é o caminho verdadeiro, Cristo Jesus, nos humilhemos diante de sua presença. Lembremos que em oração, um coração quebrantado reconhece sua incapacidade de vir a Deus, sem antes Ele vir a ele.

Não me recordo de escutar nenhuma oração de um homem piedoso e quebrantado que diante de Deus, exultou sua escolha livre de servir ao Senhor, seria mais ou menos uma oração nesse sentido, Obrigado Deus por “eu” ter te escolhido, e fazer de acordo com minhas vontades, igualmente aquele fariseu orando (Lc 18:11) antes, reconheço orações de verdadeiros cristãos, dizendo: Tem piedade de mim Deus, porque sou pecador, obrigado por ter me escolhido(Jo15:16), faça a Tua vontade na minha vida (Mt 6:10), e não a minha própria vontade, teus caminhos são fontes de sabedoria, me ajuda Senhor, porque por mim me4smo não conseguiria te seguir, humildemente reconheço que preciso de ti (Lc 18:13).

Vivemos em uma sociedade hoje, onde o padrão da verdade do homem é muito mais importante do que Deus, e é cada vez mais difícil, reconhecer que o homem é subordinado a Deus, e nunca o contrario, Deus é Senhor da historia, e Ele a controla, e todas as coisas estão em seu domínio e controle, se pensamos que Deus somente sabe das coisas futuras, mas não as domina, então teremos que dizer que o futuro não esta sujeito a Ele, e isso sem duvidas não é verdade.

Louvado seja nosso Eterno Rei, que nos dá, a vida eterna tão logo crermos nEle, e nos promete que não pereceremos, porque de Suas mãos ninguém nos arrebatará, (Jo 18:28).

Glorias a Deus

Guinho

sábado, 14 de abril de 2012

Uma nova oração


http://1.bp.blogspot.com/_f-UPsCIwXmI/TU8cgSwGJoI/AAAAAAAABLc/edio77235tI/s1600/palhaco+blog.jpg


Fico perplexo e triste, ao mesmo tempo, tenho por certo que os cristãos tem que continuar combatendo o bom combate que lhes foi proposto, lutando contra todo tipo de ensinamentos que contradizem as escrituras, tendo tolerância com as coisas quais se pode ter, e isso nem sempre é fácil, é necessário muita sabedoria, que em submissão pedimos no modelo da oração que Jesus nos ensina, não como um método repetitivo e sim uma maneira de entendermos como falarmos, porém com muita frequência, vemos sendo germinadas nas igrejas principalmente “evangélicas”, se assim podemos chamá-las, um grande câncer, que vem assolando os corações dos fieis, que buscam cegamente por confiança cega e pela falta de conhecimento das escrituras, não buscam uma base firme de conhecimento, preferindo continuarem com leite ao invés de alimento sólido, e passam sua vida inteira, procurando ser moralmente cristãos.

Pouco distante disso, esses líderes e ministros que se chamam ate mesmo de apóstolos, não se enganem, que de Deus não se escarnece, não se zomba, e nada permanece obscuro e escondido de suas vistas, por mais que pareça lindo e agradável diante de seus olhos corruptos, a justiça do Senhor com certeza não será abreviada e nem diminuída, para esses que manipulam a sua santa palavra, para benefícios próprios e inescrupulosos.

Destaco que hoje o ensinamento sobre oração aos cristãos nas igrejas, não é o padrão da que Jesus ensinou, do Pai nosso, é sim a oração do “filho nosso”, que tem como objetivo exaltar mais a criatura que o criador, geralmente se segue assim: Filho nosso que esta na terra, seja feita tua vontade tanto na terra como no céu, o pão meu de cada dia, determino e tomo posse, afinal sou a fonte de toda existência, venha meu reino, afinal de contas sei o que é melhor para mim, perdoarei a quem achar que devo perdoar, afinal de contas existem coisas que não podemos esquecê-las, e se por acaso cairmos em tentação, não tem problema nenhum porque é importante aproveitarmos tudo que nos esta disposto aqui nessa terra, porque afinal de contas estamos no mundo para isso, aproveitar, e não fazer o mal.

Essa é a deprimente, abominável, anátema e repugnante oração, que muitas pessoas tem feito e ensinado a fazer, as cópias de templos, palácios monumentais, e a determinação de posse, são apenas a ponta de um iceberg, que mostra o total descaso com o evangelho de Cristo, ensinam que cristão bem sucedido financeiramente é cristão abençoado, onde a bíblia nos garante riqueza acima de santidade? Pelo contrario ela afirma que quem quer ser amigo do mundo é inimigo de Deus, (Tg4: 4) que quem quiser ganhar a sua vida deverá perdê-la.

O cristão de hoje não é ensinado sobre perder, não é ensinado que dar é melhor do que receber que perder é lucro, por amor a Cristo, é isso que você tem recebido no lugar que congrega? Ou você tem sido ensinado que se não prospera e não fica rico é porque não esta sabendo lutar? Se for isso corra, corra imediatamente desses antros, onde só estão preocupados com a mercantilização da palavra, e corrompem sem piedade os ensinos que tantos morreram para defender, caso você também esteja procurando um local onde lhe ensinara a oração do “filho nosso”, e quer cura instantânea e mágica, reconsidere, reconheça e se arrependa disso, antes que seja tarde, porque você não esta procurando o Deus, que cura almas, você procura a cura momentânea, e não esta interessado no evangelho de Cristo, por salvar sua alma da perdição eterna, esta interessado sim, em não passar por nenhuma dor e sofrimento nessa terra, definitivamente não esta aprendendo sobre o verdadeiro evangelho e tão pouco procurado por aprender-lo.

Lembre-se que de maneira nenhuma Jesus joga fora, os que vêm a Ele (Jo6: 37), então sejamos esses, que se chegam desesperados pela cura da alma, buscando a Ele e seu Reino, para que possamos sentir o quanto é bom e agradável, viver na presença de um Deus vivo, e rejeitemos toda imundícia e podridão que tentam incessantemente destruir a Sã doutrina, enganando aqueles que não têm interesse nela, e somente buscam conforto temporário, lutemos e defendamos a verdade, sabendo que ela sempre será atacada, e não será diferente em nossos dias, mas uma coisa tenha por certo, a verdadeira Igreja, ela é indestrutível, porque ela é a noiva de Cristo.

Glorias a Deus

Guinho

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Herança divina


http://2.bp.blogspot.com/-0VKgAOnGrV4/TWPFTPzdw1I/AAAAAAAAARY/-2xE4LzA4AA/s1600/tesouro.jpg


O Senhor é a porção da minha herança e do meu cálice; tu sustentas a minha sorte Sl 16:5.

Como podemos viver para conquistar tão somente prazeres temporários, quando o salmista declara veementemente o que ele considera o mais importante em sua vida? Ele reconhece que a verdadeira alegria e benção somente se encontram em Deus, santos em Cristo, oremos e labutemos para reconhecer essas valiosas percepções, não nos contentemos com o temporal e falível, que em um simples piscar de olhos se acaba antes contemplemos pelo verdadeiro tesouro que esta no final do caminho estreito dos que buscam adentrar os céus.

Essa deve ser nosso verdadeiro desejo de herança, tesouro muito mais puro e refinado que ouro de Ofir, refinado pelo Santo Deus, preparado por Cristo para todos os seus, uns confiam em si próprios, outros em seus bens, mas nós servos de Cristo, glorificamos apenas ao Senhor (Sl20: 7), fujamos dessa contenda, sem a cobiça de olhar para trás como fez a mulher de Ló, sabendo que veremos a verdadeira herança, e não andemos em busca principalmente dessas coisas temporais, pois sabemos que a traça e a ferrugem as consumirão, como rei Davi, declarava dependência e satisfação plena em Deus, caminhemos sem demora pelo seu exemplo, entregando nossos corações aquele que sustenta nossa sorte.

Confiemo-nos aquele a quem cumpre suas promessas e derriba os orgulhosos, nos acheguemos diante de seu majestoso trono, desprovidos de autossuficiência, reconhecendo que não temos verdadeiramente outro bem alem do Senhor, (Sl 16:2). Desta maneira temos a certeza de um bem durável, que não se extinguira com o passar dos tempos, porque não é constituído por mãos humanas e sim planejada pelo Deus altíssimo, que nos promete uma cidade de fundamentos, para aqueles que confiam através da fé. 
 
Porque aquele que prometeu é fiel para cumprir, e essa herança, a única eterna, desejemos do mais profundo do nosso coração, contemplar as riquezas de poder estar vivendo junto com o Deus Altíssimo, de eternidade em eternidade, para todo sempre, servos em Cristo, amem e desejem realmente estar entre aqueles escolhidos para permanecer toda eternidade contemplando Sua glória, mansos e completos em Cristo.

Glorias a Deus 
 
Guinho 

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Caminho para o Reino



http://4.bp.blogspot.com/_sGtf1-L3OY0/TMIu5napGhI/AAAAAAAABDA/HckxWI87PE8/s1600/estrada_primavera.jpg

Quando pensamos, em Reino dos céus, logo todos se colocam dentro dele, sem mais delongas, normalmente a grande maioria das pessoas, entende como se já fizessem parte, porque se consideram boas pessoas, com um coração bondoso, e que tais fatos os acrescenta grande vantagem diante de Deus, infelizmente esse é um engano que tem levado tantos dentro como fora das igrejas, a ficarem cada vez mais distantes do reino, porque a porta de entrada para esse chama-se arrependimento, única porta, sem atalhos, independente de quantidade de sinceridade que possamos ter.

Sem o arrependimento, não temos como experimentar do amor do Pai, essa é em ordem cronológica a mais importante do novo testamento, João Batista, foi o primeiro que pregou sobre essa doutrina tão importante, ele pregava para que as pessoas se arrependessem e se batizassem, ele pregava sobre o batismo de arrependimento, não muito distante disso, o próprio Jesus, incentivava as pessoas, de que o reino estava próximo, então que se arrependessem e acreditassem no evangelho, (Mc 1:14-15) seria impossível retirar dos ensinamentos de Jesus, a doutrina do arrependimento, sem estraçalhar e destruir seus ensinos, por isso todos que se aproveitam de versículos isolados, para justificarem de suas vidas impiedosas e longe do arrependimento, não conseguirão, a menos que destruam o novo testamento.

O arrependimento tem sido muitas vezes distorcido ou ensinado de uma maneira superficial, onde ele é crucial e central, o cristianismo tem como base o arrependimento, é constituído de três partes distintas, mas que não podem ser separadas, como na parábola do filho pródigo (Lc 15:11-21) ou na parábola do filho arrependido (MT21:28-32), primeiramente temos que reconsiderar, ou seja, pensar novamente sobre o que já tínhamos decidido, como aquele filho que disse, não irei trabalhar na vinha, mas reconsiderou, ele parou e pensou se sua decisão era a certa, muitos já param por aqui mesmo, porque sequer pensam em reconsiderar, e este é o primeiro ponto, logo em seguida vem o reconhecimento, honestamente olhar para si mesmo e admitir que estava errado em relação a si mesmo e em relação a toda a situação, quantos de nós não admitimos nossa condição diante de Deus? Reconsiderando e admitindo o quanto estávamos errados, e que temos pecado contra o Senhor?

Esse é o segundo passo, porém muitas pessoas também param nesse estagio, porque elas até reconsideram e admitem, mas nunca percorrem o caminho do terceiro passo e assim nunca se arrepende genuinamente, esse terceiro passo chama-se agir ou obedecer, da mesma maneira que aquele filho disse que não trabalharia, ele reconsiderou reconheceu e obedeceu, ele foi trabalhar na vinha, hoje quantos de nós mudamos realmente de atitude para com nossos pecados e desobediências com o Altíssimo?

Conseguimos olhar para dentro de nós e reconhecer o quanto estamos errados? Sendo honestos com nós mesmos? Igualmente a esses filhos nas parábolas. Foram honestos consigo mesmos e mudaram suas atitudes, ou ainda continuamos a nos defender, justificando e dando desculpas para nossas vidas de pecado e desobediência, e assim levando uma vida que não agrada a Deus?

Enquanto não levarmos a sério, o arrependimento como base para alcançar o amor e perdão de Deus, estaremos em total desobediência e longe do reino dos céus, temos que confiar que o Pai Celeste não erra, como nossos pais humanos, muitas vezes erram, e em obediência confiar, mesmo sem ter total entendimento, mas saber que Ele sabe o que é melhor, todos que ainda acham que não há motivo para que se arrependam, deixo alguns questionamentos para você, como aqueles filhos, serem honestos e ver se estão colocando em pratica nas suas vidas:

Estou colocando DEUS em primeiro lugar, como prioridade?

Estou vivendo próximo, com intimidade com Ele?

Estou vivendo de uma maneira que agrada Deus?

Estou buscando a Deus, pela motivação correta, para glorificá-lo?

Reconheço somente Cristo como meu salvador, mas não somente isso e sim querer viver como Ele viveu?

O orgulho nunca fala mais alto na minha vida, antes sempre busco ser humilde como Cristo ensinou?

Lembremo-nos que o Cristianismo não faz distinção de pessoas, por serem boas e más inteligentes e ignorantes, não nos separa das prostitutas, bandidos, homossexuais, o cristianismo não faz acepção de qualidades, ele separa sempre os arrependidos, dos que não se arrependem de sua maneira de viver, é isso que ele ensina.

Glorias a Deus.

Guinho

terça-feira, 10 de abril de 2012

Quem poderá impedir Deus de agir?


http://4.bp.blogspot.com/-wmVlXmIXsm4/TcILVu81gvI/AAAAAAAAAjY/WGLJCWGMakY/s1600/soberano.jpg


Mas o Senhor está no seu santo templo, cale-se diante dele a terra. HC 2:20

Grande é o Senhor, diferente de nossa compreensão, que colocamos sua imensidão do tamanho de um oceano, dentro de um copo, esse é o cristão muitas vezes de hoje em dia, prepotente e arrogante, acredita que deve conhecer todos os pensamentos de Deus, e quando assim não acontece se sentem no direito de criticá-lo, tudo depende de seu soberano decreto, por acontecer, e em seu decreto mesmo que muitas vezes não os entendamos completamente, permanecem as responsabilidades dos homens, então da mesma maneira que Deus decreta e determina, os homens por suas ações são dignos de julgamento e condenação, Pilatos no interrogatório com Cristo, o afirma, não sabes que tenho poder para te crucificar e tenho poder para te soltar? (Jo 19:10), e Jesus responde, nenhum poder teria se dos céus não te fosse dado, essa é a prova que Deus , age, usando quem, quando e como ele predeterminou, conforme o próprio Jesus, deixa claro, para Pilatos, que tudo isso era parte do plano de Deus, determinado por Deus, desde seu nascimento (Gl 4:4),(Ef 1.5-11).

Mesmo que esse pensamento não consiga ser totalmente compreendido pela nossa incapacidade humana, de compreender DEUS, devemos apenas reconhecer, aceitar e calar-se diante dEle, (Hc 2:20), por mais que nossos conceitos de justiça, santidade e bondade, estejam impressos em nossas mentes, jamais devemos tentar nos comparar a Deus, porque não somos capazes de entender muitas coisas, por isso nossa maior maneira de adorá-lo é obedecendo e sabendo que independente de nós acharmos que sim ou não, Ele continua sendo justo,santo e bom, e seus métodos jamais podem ser questionados por nós, e sim confiando que o Senhor é Soberano em tudo, e na historia, Ele comanda ela, todas as coisas foram feitas por Ele e para Ele (Jo1:3)

Então quando falamos sobre Deus, apesar de não ser o autor do mal, assim o permitir, será que fazemos confusão? De maneira nenhuma, porque para o mal acontecer depende da permissão de Deus, em Atos 4:23-29, logo após serem libertos, Pedro e João, oraram e fica tão claro, quanto ao plano de Deus, mesmo com as atitudes más, segundo o Seu propósito, entremos mais a fundo no texto: verso 26: levantaram-se os reis da terra, e as autoridades ajuntaram-se á uma contra o Senhor e contra o seu Ungido, verso :27 porque verdadeiramente se ajuntaram nesta cidade contra o teu Servo Jesus, ao qual ungiste, Herodes e Pôncio Pilatos, com gentios e gente de Israel, agora vem a parte derradeira da historia comandada por Deus, verso 28: para fazerem tudo que a tua mão e o teu propósito predeterminaram, diante disso só posso dizer:

Senhor seja realmente feita a tua vontade, e que se calem diante de ti os povos, reconheçamos apesar de muitas vezes não entendermos, tenhamos temor diante dEle, o Senhor reina, tremam os povos, Ele está assentado entre os querubins, comova-se a terra (Sl 99:1), e contemplemos que esse mesmo Deus que criou todas as coisas, nas quais todas estão sujeitadas a Sua vontade, entregou Seu filho, por amor, e contemplemos Sua grandeza, sem que nos achemos capazes de entendê-lo em sua plenitude, afinal Ele é Deus.

Glorias a Deus.

Guinho

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Pare! Pare de temer a morte!






Para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo - Hebreus 2.14


Filho de Deus, a morte perdeu seu aguilhão pois o poder do diabo sobre ela foi destruído. Então, pare de temer a morte. Peça graça a Deus, o Espírito Santo, para que por meio de um conhecimento íntimo da morte do seu Redentor e uma firme crença nela, você seja fortalecido para esta terrível hora. Vivendo bem perto da cruz do Calvário, você deve pensar com prazer a respeito da morte. 


Dê-lhe boas-vindas, quando ela vier, com intenso deleite. É agradável morrer no Senhor; dormir em Jesus é uma aliança de bênção. A morte não é mais um banimento. É um retorno do exílio, uma ida ao lar — as muitas mansões em que já habitam os amados do Senhor. A distância entre os espíritos glorificados no céu e os santos que militam na terra parece enorme, mas isto não é verdade.

Não estamos distantes do lar; um único momento pode nos levar para casa. A vela está aberta; a alma está lançada. Quanto tempo durará esta viagem? Quantos ventos exaustivos devem atingir a vela antes de ser esta amarrada ao porto da paz? Por quanto tempo a alma será lançada de um lado para outro pelas ondas, até que chegue àquele mar onde não existem tempestades? Ouça a resposta: "Estamos em plena confiança, preferindo deixar o corpo e habitar com o Senhor" (2 Coríntios 5.8).

O navio acabou de zarpar mas, já chegou ao ancoradouro. Ele içou velas e lá chegou. Quando uma tempestade sacudiu aquele barco, no mar da Galiléia, o Senhor Jesus caminhou sobre as águas e disse: "Sou eu. Não temais!" (João 6.20); e logo o barco chegou à praia. Não pense que existe um grande período de tempo entre a morte e a eternidade de glória. 



Quando os olhos se fecham, por ocasião da morte, eles se abrem na glória. Os cavalos de fogo não se detêm na estrada nem por um instante. Filho de Deus, o que existe na morte para você temê-la, visto que por intermédio da morte de seu Senhor o aguilhão e o poder dela foram destruídos? Ela é a escada de Jacó; seus pés se encontram no sepulcro sombrio, mas o topo chega até aos céus.

Charles H. Spurgeon

[Via]

O Deserto da nossa Natureza - Vídeo


http://1.bp.blogspot.com/-3CCu1QElSsQ/T0Ee2lidjeI/AAAAAAAACJw/-Ut2Q3fuTdE/s1600/deserto1.jpg

domingo, 8 de abril de 2012

Inocência perdida?


http://2.bp.blogspot.com/-63sM-ECVwqQ/TbMDZjgqinI/AAAAAAAAAGo/GIxddP3O-so/s1600/coelhinho1.jpg


Chegando a páscoa vem as estranhas cobranças em relação aos nossos filhos.

Eu ensino minha filha o verdadeiro significado da páscoa, ela tem 5 anos e sabe que o coelhinho da páscoa não existe, que é o dia onde as pessoas comemoram a ressurreição de Cristo, apesar de que poucos ainda lembram disso, assim como o natal é uma data que em nada parece com o significado original.

Mas quando alguém pergunta algo do tipo: O que o coelhinho trouxe para você hoje?

Logo recebe um "nada", afinal de contas o coelho não existe. Nesse momento rola aquele desconforto e logo vem aquelas explicações do tipo: "Mas você está tirando a fantasia da criança, isso é importante para a imaginação delas". Papo furado...

Vou contar duas histórias aí peço que cada um julgue qual a história é mais atraente para uma criança:

1) Existe um coelho mágico, sim tem que ser mágico, pois ele coloca ovo de chocolate, tendo em vista que um coelho sequer coloca ovos. E esse coelho no domingo de páscoa traz ovos de chocolate para todas as crianças do mundo. Exceto claro alguns países de como China, Coreia do Norte, Cuba... (São países não-cristãos).

2) Existe um Deus que criou todas as coisas, inclusive todos nós, e por nossa própria vontade escolhemos se rebelar com esse Deus. Mas o Criador em sua infinita sabedoria e misericórdia decide regatar a comunhão perdida e envia o seu único e amado Filho para que Ele viesse pagar um preço muito alto por esse redenção.
O Deus encarnado sofreu como um de nós, viveu como um de nós e morreu como nenhum de nós. Um sacrifício perfeito, daquele que era Deus e era homem, capaz de nos unir novamente ao Deus soberano, criador de todas as coisas. Três dias depois o Filho de Deus ressuscita dentre os mortos para cumprir o plano perfeito de Deus, e neste momento está glorificado nas alturas.
E nesse domingo de páscoa comemoramos essa reconciliação através da morte e ressurreição de Jesus Cristo.

Agora pergunto, qual história seria mais interessante para o imaginário das crianças?

Fico sempre com a segunda opção, afinal de contas eu procuro não mentir para minha filha e essa é a história que ela deve amar até o fim dos seus dias.

Que nessa data possamos redimir a páscoa, que possamos usar esse momento pra falar para as pessoas o verdadeiro significado deste dia.

Feliz páscoa para todos.

Fernando.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Verdades e Mitos sobre a Páscoa


Nesta época do ano celebra-se a Páscoa em toda a cristandade, ocasião que só perde em popularidade para o Natal. Apesar disto, há muitas concepções errôneas e equivocadas sobre a data.

A Páscoa é uma festa judaica. Seu nome, “páscoa”, vem da palavra hebraica pessach que significa “passar por cima”, uma referência ao episódio da Décima Praga narrado no Antigo Testamento quando o anjo da morte “passou por cima” das casas dos judeus no Egito e não entrou em nenhuma delas para matar os primogênitos. A razão foi que os israelitas haviam sacrificado um cordeiro, por ordem de Moisés, e espargido o sangue dele nos umbrais e soleiras das portas. Ao ver o sangue, o anjo da morte “passou” aquela casa. Naquela mesma noite os judeus saíram livres do Egito, após mais de 400 anos de escravidão. Moisés então instituiu a festa da “páscoa” como memorial do evento. Nesta festa, que tornou-se a mais importante festa anual dos judeus, sacrificava-se um cordeiro que era comido com ervas amargas e pães sem fermento.

Jesus Cristo foi traído, preso e morto durante a celebração de uma delas em Jerusalém. Sua ressurreição ocorreu no domingo de manhã cedo, após o sábado pascoal. Como sua morte quase que certamente aconteceu na sexta-feira (há quem defenda a quarta-feira), a “sexta da paixão” entrou no calendário litúrgico cristão durante a idade média como dia santo.

Na quinta-feira à noite, antes de ser traído, enquanto Jesus, como todos os demais judeus, comia o cordeiro pascoal com seus discípulos em Jerusalém, determinou que os discípulos passassem a comer, não mais a páscoa, mas a comer pão e tomar vinho em memória dele. Estes elementos simbolizavam seu corpo e seu sangue que seriam dados pelos pecados de muitos – uma referência antecipada à sua morte na cruz.

Portanto, cristãos não celebram a páscoa, que é uma festa judaica. Para nós, era simbólica do sacrifício de Jesus, o cordeiro de Deus, cujo sangue impede que o anjo da morte nos destrua eternamente. Os cristãos comem pão e bebem vinho em memória de Cristo, e isto não somente nesta época do ano, mas durante o ano todo.

A Páscoa, também, não é dia santo para nós. Para os cristãos há apenas um dia que poderia ser chamado de santo – o domingo, pois foi num domingo que Jesus ressuscitou de entre os mortos. O foco dos eventos acontecidos com Jesus durante a semana da Páscoa em Jerusalém é sua ressurreição no domingo de manhã. Se ele não tivesse ressuscitado sua morte teria sido em vão. Seu resgate de entre os mortos comprova que Ele era o Filho de Deus e que sua morte tem poder para perdoar os pecados dos que nele creem.

Por fim, coelhos, ovos e outros apetrechos populares foram acrescentados ao evento da Páscoa pela crendice e superstição populares. Nada têm a ver com o significado da Páscoa judaica e nem da ceia do Senhor celebrada pelos cristãos.

Em termos práticos, os cristãos podem tomar as seguintes atitudes para com as celebrações da Páscoa tão populares em nosso país: (1) rejeitá-las completamente, por causa dos erros, equívocos, superstições e mercantilismo que contaminaram a ocasião; (2) aceitá-las normalmente como parte da cultura brasileira; (3) usar a ocasião para redimir o verdadeiro sentido da Páscoa.

Eu opto por esta última.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

A Inerrância da Bíblia - Augustus Nicodemus - CFL 2012


http://files.descomplicandoabiblia.com/200000050-ab43fac3de/biblia12.jpg

terça-feira, 3 de abril de 2012

Vencendo a Carne - Vídeo


http://www.aoreidosreis.com/wp-content/uploads/2010/04/VENCENDO-O-MEDO.jpg

domingo, 1 de abril de 2012

Não queremos mais nada a não ser a Bíblia



O lavar-se pela Palavra foi o que eles tiveram, e é o que nós precisamos. Precisamos obter isso no lugar em que eles o encontraram. Ver os efeitos da verdade de Deus nas vidas de homens santos confirma a fé e estimula a aspiração santa. Não há outras influências que nos ajudem a chegar a tão sublime ideal de consagração. Se você ler os livros babilônicos de hoje, alcançará o espírito deles, e é um espírito estranho que o desviará do Senhor seu Deus. Você também pode sofrer grande dano com sacerdotes que têm a pretensão de falar o dialeto de Jerusalém, mas metade de sua mensagem é de Asdode: eles confundirão sua mente e profanarão sua fé. Pode acontecer que um livro que em seu todo seja excelente, com poucas máculas, possa lhe fazer mais mal do que um completamente mau. Cuide-se, obras dessa natureza são lançadas como nuvens de gafanhotos.
 
Quase não se pode achar nesses dias um livro que seja inteiramente isento do levedo moderno, e a menor partícula dele fermenta até produzir o erro mais insano. Ao ler livros da nova ordem, embora possa não aparecer nenhuma mentira palpável, você fica consciente de estar recebendo uma distorção e um declínio no tom de seu espírito, portanto, esteja alerta. Mas com a Bíblia você sempre pode estar descansado; ali todo sopro de cada direção traz vida e saúde. Se você se conserva próximo do livro inspirado, não sofrerá mal algum; ao contrário, estará no manancial de todo bem moral e espiritual. Isso é alimento adequado para homens de Deus: é o pão que nutre a vida mais elevada.
 
Depois de pregar o evangelho durante quarenta anos, e imprimir os sermões que preguei durante mais de trinta e seis anos, chegando agora a 2200 sermões, feitos em semanas sucessivas, ganhei o direito de falar sobre a superabundância e riqueza da Bíblia como o livro do pastor. Irmãos, ela é inesgotável. Se permanecermos junto ao livro sagrado não teremos nenhum problema de frescor nos textos. Não há dificuldade alguma para encontrar temas totalmente distintos daqueles que tratamos antes; a variedade é tão infinita quanto a plenitude. Uma longa vida será suficiente apenas para margear as costas desse imenso continente de luz. Em meus quarenta anos de ministério só toquei a orla da veste da verdade divina, mas quanta verdade fluiu dela! A Palavra é como seu Autor, infinita, imensurável, sem-fim. Se você fosse ordenado para ser pregador ao longo da eternidade, teria diante de si um tema à altura das demandas eternas.
 
Irmãos, será que em alguma parte entre os corpos celestes cada um de nós terá um púlpito? Teremos uma igreja de milhões de léguas? Teremos vozes tão fortalecidas a ponto de alcançar constelações atentas? Seremos testemunhas para o Senhor da graça a miríades de mundos que ficarão atônitos e maravilhados ao ouvir sobre o Deus encarnado? Estaremos rodeados por inteligências puras perguntando sobre o mistério do Deus manifesto na carne e tentando entendê-lo? Os mundos não caídos desejarão ser instruídos no glorioso evangelho do Deus abençoado? E cada um de nós terá uma história pessoal para narrar nossa experiência de amor infinito? Acho que sim, visto que o Senhor nos salvou para "que agora, mediante a igreja, a multiforme sabedoria de Deus se tornasse conhecida dos poderes e autoridades nas regiões celestiais" (Ef 3.10). Se tal é o caso, nossas Bíblias serão suficientes ao longo de eras futuras para prover novos temas a cada manhã, e cantos e mensagens novas por eras sem-fim. 
 
Estamos resolvidos, portanto, visto que temos esse arsenal vindo do Senhor e que não queremos nenhum outro, a usar somente a Palavra de Deus, e usá-la com grande energia. Estamos resolvidos e espero que não haja discordância entre nós a conhecer melhor nossas Bíblias. Será que conhecemos o volume sagrado tão bem, pelo menos metade de como deveríamos conhecer? Temos trabalhado para ter um conhecimento tão completo da Palavra de Deus, como muitos críticos têm conseguido de seu escritor clássico favorito? É possível que ainda nos deparemos com passagens da Bíblia que são novas para nós? Isso devia acontecer? Há qualquer passagem do que o Senhor escreveu que você nunca leu? Foi interessante a observação do meu irmão, Archibald Brown. Ele se impressionou com a constatação de que a não ser que lesse toda a Bíblia, de ponta a ponta, poderia haver ensinos inspirados que nunca conheceria, portanto, resolveu ler os livros na ordem em que são apresentados; e, depois de ler uma vez, ele continuou com o hábito. Será que qualquer um de nós deixou de fazer isso? Vamos começar imediatamente.

Charles H. Spurgeon

[Via]