sábado, 10 de março de 2012

Cristãos Primitivos - Parte I


http://3.bp.blogspot.com/_qoXVbSuT5Eg/TCfgo0VyH-I/AAAAAAAAAJI/-KovKXrRbiU/s1600/crucificacao_de_sao_pedro.jpg


Logo após a ascensão de Cristo ao céus, ele deixou um ministério a seus apóstolos, inclusive dizendo que eles deveriam e iriam fazer muito mais obras que as dele, falava isso em relação a evangelização que eles ainda fariam, (Jo 14:12), em virtude do curto ministério de Cristo na terra, seguiram então os apóstolos conforme a grande comissão que havia lhes cabido, ir a todos os povos pregar o evangelho para fazer discípulos de Cristo, e os batizando tantos quanto possíveis, (Mt 28:19) a historia cristã mostra que foi exatamente isso que aconteceu ao longo dos primeiros séculos, vários mártires ajudaram a espalhar essas sementes, onde Tertuliano, escreveu uma carta aos imperadores que parassem de perseguir a Igreja, porque o “sangue dos cristão era semente, e lês não conseguiriam terminar com isso jamais”, e era exatamente isso que acontecia, se não bastasse a morte dos apóstolos Paulo e Pedro, durante a época do reinado de Nero entre 65 d.c e 95 d.c , um morto decapitado e o outro crucificado de cabeça para baixo, por não se achar digno de morrer da mesma maneira que Cristo, vemos que realmente a essência desses homens e também mulheres, era sofrer o que fosse, por amor a Cristo.

O primeiro destes mártires foi um homem chamado Inácio de Antioquia, que foi levado ate Roma para ser julgado, onde no caminho ele escreveu uma carta aos romanos, dizendo que não perdessem tempo em tentar incentivá-lo apostatar de sua fé, dizendo o seguinte: Prefiro ser o trigo moído e esmagado na boca das feras, puramente para agradecer a Cristo, e que se puder escolher entre as feras não me matarem, como já aconteceu com vários servos do Senhor, prefiro ser moído como forma de expressão de meu amor e gratidão por Ele, ”trigo de Cristo, moído nos dentes das feras”. Foi exatamente o que aconteceu os leões, estraçalharam seu corpo, e ele foi o primeiro mártir, depois dos apóstolos, e mesmo em sua morte ele continuou evangelizando, porque os incrédulos se admiravam de que uma pessoa pudesse morrer por sua crença, então ela deveria realmente ser “verdadeira”, fico pensando, no Brasil, o país onde moramos, dispomos de uma grande liberdade religiosa, muito diferente daqueles primeiros cristãos, que precisavam apostatar da sua fé, para não serem mortos e preferiam morrer ou abandonar o seu Cristo, vemos hoje pessoas que sequer abrem mão de suas novelas e lazeres em prol de Cristo, e que na duvida entre si mesmo e Jesus, sempre escolhem a primeira opção, são esses que muitas vezes se dizem “evangélicos”, mas em suas vidas não se pode ver, nenhum sinal de santidade.

Pessoas que tem o mesmo tipo de religião mecânica dos romanos da antiguidade, que precisavam de cultos externos e ídolos para adorarem , não adoram o Senhor em espírito e verdade, (Jo 4 :24), e tão pouco se preocupam em mudar seu comportamento e suas principais escolhas, uma das frases que Inácio deixou que pouco se aplica hoje é: A grandiosidade do cristianismo é ser odiado pelo mundo, isso implica não em que sejamos odiosos, e sim odiados, a grande diferença é que o cristão não se inclina com o mundo, ele escolhe Cristo sempre antes de seus desejos, ele prefere a morte ante abandonar seus princípios e sua vida crista, e por isso é odiado, por não participar de todo teatro montado por Satanás, para agradar todo tipo de malicia e imundícia em suas vidas, reflito rapidamente e penso, quantos cristãos primitivos temos hoje em nossos dias? Que abrem mão se necessário de suas próprias vidas, em um país onde não fazemos nem ideia do que é morrer literalmente por Cristo, onde temos total liberdade de lermos, andarmos com nossa regra de fé, e mesmo assim por vezes não o fazemos, para satisfazer somente o que a parte carnal deseja?

Glorias a Deus

Guinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário